Notícias

Terceira maior aérea do Japão promete recuperação após pedir falência

A Skymark é a terceira maior companhia aérea do Japão e quer se reestruturar após recente pedido de falência.

Do Mundo-Nipo

O novo presidente da Skymark Airlines −−terceira maior companhia aérea do Japão−−, que pediu proteção contra falência na última quarta-feira, disse que a empresa vai se recuperar reduzindo o número de voos oferecidos.

Masakazu Arimori, que substituiu o ex-presidente Shinichi Nishikubo, realizou uma coletiva de imprensa na sede da empresa em Tóquio na quinta-feira (29), um dia depois de a empresa realizar uma reunião extraordinária do conselho e pedir ao Tribunal Distrital de Tóquio proteção de seus credores ao abrigo da lei de reabilitação civil.

Arimori desculpou-se pelos inconvenientes causados aos clientes, parceiros de negócios e investidores. Também pediu apoio contínuo, garantindo que os serviços continuarão.

Segundo ele, a empresa busca agora encontrar apoiadores corporativos o mais rápido possível. Também sugeriu que a Skymark vai cortar dezenas de voos em alguns dias semana. Isso deve acontecer a partir de 1º de fevereiro até o final de março. A empresa atualmente opera 152 voos diários.

Além disso, Arimori indicou que a Skymark está em negociações com a All Nippon Airways (ANA) e a Japan Airlines (JAL), as duas maiores aéreas do Japão, com o objetivo de operar voos conjuntamente.

A Skymark iniciou suas operações em 1998. No entanto, recentemente a companhia passou a competir cada vez mais com empresas de baixo custo.  Em 2011, a Skymark assinou um contrato para compra de seis aviões A380 de dois andares da companhia Airbus. Entretanto, a fabricante rescindiu o acordo em julho passado, depois de a Skymark atrasar pagamentos.

Posteriormente, a Airbus notificou à Skymark que poderia exigir uma indenização de até US$ 700 milhões por perdas e danos, conforme noticiou ontem (30) o jornal Nikkei.

Fonte: Jornal Nikkei.

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário


*