Política

EUA consideram anúncio de lançamento norte-coreano “altamente provocador”

A porta-voz Victoria Nuland declarou que todo lançamento de mísseis da Coreia do Norte é uma violação as resoluções das Nações Unidas.

Atualizado em 01/12/2012 às 17:28


Da agência EFE

Washington, 1 dez (EFE).- Os Estados Unidos qualificaram a intenção da Coreia do Norte de lançar em meados de dezembro um foguete de longo alcance como “altamente provocador” e uma “ameaça” para a região.

 

Monumento Wahington em Washington. (Foto: Nicolas Raymond)

A porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland, afirmou que todo lançamento de mísseis da Coreia do Norte é uma violação das resoluções 1.718 e 1.784 das Nações Unidas (Monumento de Wahington, em Washington – Foto: Nicolas Raymond)

 

“Todo lançamento por parte da Coreia do Norte que empregue tecnologia de mísseis é uma violação das resoluções 1.718 e 1.784 das Nações Unidas. Exigimos a Coreia do Norte que cumpra com suas obrigações”, afirmou neste sábado a porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland em comunicado.

O regime comunista da Coreia do Norte anunciou hoje sua intenção de lançar um foguete de longo alcance entre os dias 10 e 22 de dezembro, após um lançamento fracassado em abril passado que lhe valeu a condenação de boa parte da comunidade internacional.

“Dedicar os poucos recursos ao desenvolvimento de armas nucleares e mísseis de longo alcance só conseguirá isolar ainda mais e empobrecer a Coreia do Norte”, acrescentou a funcionária americana.

Por último, os EUA informaram que estão em consultas “estreitas” com seus aliados na região para analisar os “seguintes passos”.

O regime liderado pelo jovem Kim Jong-un, que assumiu o poder após a morte de seu pai, Kim Jong-il, em 17 de dezembro de 2011, assegura que o objetivo é pôr em órbita de modo “pacífico” um satélite e defende seu direito a desenvolver seu programa espacial. EFE

 

Agência EFE – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem a autorização prévia por escrito da Agência EFE S/A.

Comentários