Política

Brasil: Senado aprova fim de doações de empresas em campanhas eleitorais

Críticos afirmam que as doações de empresas estão ligadas aos casos de corrupção, como o investigado na Petrobras.

Do Mundo-Nipo com Agências

O Senado aprovou nesta quarta-feira (2) a proibição de doações de empresas a campanhas eleitorais, por 36 votos a 31. As doações de pessoas físicas, no entanto, seguem liberadas, mas limitadas ao equivalente a todos os rendimentos do doador em um ano.

A votação da proposta ocorreu minutos após a aprovação de texto-base que limitava a R$ 10 milhões a doação de empresas a partidos políticos.

A proibição foi incluída no projeto da reforma política por meio de emenda proposta pelo relator do texto no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).

Entretanto, a votação do projeto da reforma política no Senado ainda não terminou. Os senadores, que já aprovaram o texto-base, ainda vão apreciar emendas que podem fazer outras modificações no texto, mas não mais relativas às doações.

Após concluída a votação no Senado, o projeto, que foi alterado na Casa, terá de voltar à Câmara dos Deputados.

Depois da votação do texto-base, o próprio relator da proposta, senador Romero Jucá (PMDB-RR) apresentou uma proposta de alteração no texto, sugerindo acabar com a doação não só a candidatos, mas também a partidos.

Críticos do financiamento privado de campanhas eleitorais afirmam que as doações de empresas estão diretamente ligadas aos casos de corrupção como o investigado na Petrobras pela operação Lava Jato.

Fontes: Agência Reuters | Portal G1.

 

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários