Política

Aécio Neves é o candidato mais votado no Japão

Se valessem apenas os votos dos brasileiros no Japão, Aécio seria eleito ainda no primeiro turno.

Do Mundo-Nipo

Aécio Neves (Foto: George Gianni/ PSDB)

Se valessem apenas os votos dos brasileiros no Japão, Aécio seria eleito ainda no primeiro turno (Foto: George Gianni/ PSDB)

Aécio Neves (PSDB) é o candidato mais votado por brasileiros residentes na Suíça, França e Japão. O resultado total dos votos fora do país serão divulgados a partir das 19h (de Brasília), no entanto, no mínimo 68 países já tiveram votações encerradas. Ao todo, ela ocorre em 135 cidades de 89 países.

Com mais de 37 mil eleitores brasileiros, o Japão é o segundo maior colégio eleitoral fora do Brasil. Se os votos deles sozinhos contassem, Aécio seria eleito ainda no primeiro turno, com 6.376 votos válidos até o momento, enquanto Marina Silva (PSB) está sendo a segunda com mais votos, somando 2.369. Dilma está em terceiro na opção dos eleitores, com 1.131. Os números são válidos pelas cidades de Tóquio, Nagoya, Gunma, Naguna e Ibaraki.

O candidato tucano também foi o mais votado na França, onde teve 1.179 votos, ou seja, a escolha de 37% dos eleitores que votaram no país. A presidente Dilma Rousseff veio em seguida, com 961 votos e Marina Silva foi a escolha de 739 eleitores.

Em Genebra, Aécio venceria com 683 votos, e Marina Silva teve 568 votos. A presidente ficou com 403 votos, na terceira colocação.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o pleito nessas regiões ocorreram sem qualquer registro de problemas. Até o fim da manhã de hoje, a eleição ainda faltava ser concluída em 39 países.

O TSE informou ainda que as últimas cidades a votar estão localizadas nos Estados Unidos (Los Angeles e São Francisco) e no Canadá (Vancouver), onde a votação será encerrada às 21 horas, horário de Brasília.

Fontes: Site RFI / IPC Digital / Revista Online Alternativa.jp.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*