Política

Premiê japonês acusa China de “usar força” para manter “status quo”

A China exigiu que Tóquio reconheça a existência de uma disputa territorial sobre as Ilhas Senkaku.

Do Mundo-Nipo

Shinzo Abe 002 (Foto: Nippon News)

Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão (Foto: Nippon News)

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, criticou a China neste domingo por aquilo que chamou de uma tentativa de “mudar o status quo pela força” , se referindo a relação do país com o governo japonês e outras nações asiáticas.

Abe disse durante um programa de televisão que tal abordagem é “errada”, referindo-se às tensões geradas devido a disputa pelas Ilhas Senkaku.

“O Japão e a China têm relações indivisíveis e os dois países devem resolver os problemas através do diálogo”, disse Abe, pressionando Pequim a aliviar suas condições para a realização de uma reunião bilateral.

A China exigiu que o Japão reconheça a existência de uma disputa territorial sobre as Ilhas Senkaku, que é controlada por Tóquio e reivindicada por Pequim, e pediu que a questão fosse arquivada.

“É errado, como uma postura diplomática, rejeitar uma reunião de cúpula porque as condições não são cumpridas”, disse Abe.

O premiê disse que está pedindo a China e outros países para respeitar a “regra da lei” para resolver qualquer disputa marítima.

As declarações foram feitas após a revelação recente de que um grande navio guindaste chinês está construindo uma instalação de perfuração no mar próximo a fronteira com o Japão, entre as duas zonas econômicas exclusivas.

Neste domingo, a Guarda Costeira do Japão informou que três navios da marinha chinesa invadiram águas japonesas próximo as Ilhas Senkaku.

 

Para saber mais sobre Política, clique em mundo-nipo.com/politica. Siga também o Mundo-Nipo no Twitter e Facebook.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*