Política

Partido governista vence maioria dos pleitos em eleições no Japão

O PLD foi vitorioso em 40 das 41 províncias onde as eleições foram realizadas.

Do Mundo-Nipo

O partido conservador do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, conquistou mais da metade das cadeiras parlamentares em disputa. O Partido Liberal-Democrata (PLD) foi vitorioso em 40 das 41 províncias onde os pleitos foram realizados, no domingo, enquanto a oposição conseguiu apenas um quinto dos votos. O premiê japonês afirmou que “os resultados abrem caminho para a aprovação de uma nova política econômica no Parlamento”.

Milhões de japoneses votaram no domingo em eleições locais por praticamente todo o país. Os eleitores foram às urnas para a eleição de 10 governadores provinciais e 5 prefeitos, bem como legisladores de 41 Assembleias Provinciais e de 17 Câmaras Municipais.

No pleito da Assembleia Provincial e Municipal de Osaka (centro-oeste), o Diretório Regional do Partido da Inovação do Japão conseguiu manter sua posição de liderança. Juntamente com o seu parceiro de coalizão, o Partido Komei, o PLD conseguiu vencer em 2 províncias onde seus candidatos a governador superaram com margens mínimas os candidatos da oposição.

Em Oita (sul), o governador atual, Katsusada Hirose, conseguiu se reeleger com boa margem, derrotando um candidato apoiado pelo Partido Democrático do Japão (PDJ), principal partido oposicionista ao governo de Abe.

Em Hokkaido, (extremo norte), a governadora Harumi Takahashi garantiu seu quarto mandato. Ela também foi apoiada pela coalizão governista. Em Sapporo, capital de Hokkaido, o cargo de prefeito foi garantido pelo candidato apoiado pelo Partido Democrata, Katsuhiro Akimoto, que é um ex-vice-prefeito da cidade.

As votações realizadas no domingo foram as primeiras denominadas eleições locais unificadas no Japão em 4 anos.

(Com informações da NHK News e Agência Kyodo)

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários