Política

Japão vai ampliar atuação no Mar do Sul da China com ajuda dos EUA

Foto: Creative Commons

A ampliação ocorrerá por meio de patrulhas de treinamento conjuntas com os Estados Unidos e exercícios multilaterais.

A ministra japonesa da Defesa, Tomomi Inada, disse que o Japão ampliará a atuação no Mar do Sul da China, um movimento que contará com patrulhas de treinamento conjuntas com os Estados Unidos e exercícios multilaterais, de acordo com a agência de notícias ‘Reuters’.

Em um discurso no Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais na última quinta-feira, um instituto de pesquisas de Washington, Inada disse que o engajamento crescente do Japão na área, onde seu país compartilha os temores dos EUA a respeito das reivindicações chinesas sobre vastos territórios, irá incluir a capacitação de nações costeiras.

O Japão também tem sua própria disputa com a China a respeito de territórios do Mar do Leste da China.

Inada disse que se o mundo for conivente com as tentativas de alterar o império da lei e permitir que a “lei seja curvada”, as “consequências poderiam se tornar globais”.

“Neste contexto, apoio firmemente as operações de liberdade de navegação da Marinha dos EUA, que fazem muito para manter a ordem marítima internacional, baseada em regras”, afirmou.

“Por sua parte, o Japão irá intensificar seu engajamento no Mar do Sul da China através, por exemplo, dos cruzeiros de treinamento conjuntos da Força Marítima de Autodefesa com a Marinha dos EUA e exercícios bilaterais e multilaterais com Marinhas regionais”, disse.

O Japão também irá ajudar a capacitar Estados costeiros no Mar do Sul da China, disse Inada antes de seguir para reuniões com o secretário de Defesa norte-americano, Ashton Carter, no Pentágono.

Neste mês o governo de Tóquio disse estar disposto a fornecer novos navios de patrulha ao Vietnã, sua medida mais recente para fortalecer as instâncias de aplicação da lei marítima de países envolvidos em disputas territoriais com a China. (Full Story)

O Japão ainda concordou em providenciar dois grandes navios de patrulha e emprestar até cinco aeronaves de vigilância usadas para as Filipinas, outra nação com desavenças com Pequim por questões de soberania no Mar do Sul da China.

Em resposta aos comentários de Inada, a Marinha norte-americana disse em um comunicado: “Os Estados Unidos acolhem o interesse do Japão em expandir suas atividades marítimas no Mar do Sul da China. Continuamos a explorar maneiras de intensificar os esforços de cooperação entre os EUA e o Japão para contribuir para a segurança e a estabilidade da região”.

Da agência Reuters

Comentários