Política

Japão dissolve câmara baixa e marca eleições para 16 de dezembro

As eleições de 16 de dezembro definirão um novo primeiro-ministro para o país.

Da agência EFE

Tóquio, 16 nov (EFE).- O primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda, dissolveu nesta sexta-feira a Câmara dos Representantes e antecipou para 16 de dezembro as eleições gerais no país.

O presidente da câmara baixa japonesa, Takahiro Yokomichi, leu o édito do imperador Akihito no qual se ordena a dissolução e a posterior realização do pleito.

Antes de concluir a sessão, a Dieta (Parlamento) aprovou várias importantes leis, incluindo uma para desbloquear os gastos públicos e outra para reformar o sistema eleitoral.

A dissolução da câmara baixa abriu o caminho para a antecipação do pleito, o que era amplamente reivindicado pela oposição, liderada pelo Partido Liberal-Democrata (PLD). De acordo com as pesquisas, essa formação tem grandes chances de recuperar o poder perdido nas eleições de 2009.

Naquele ano, o Partido Democrático (PD), de tendência mais progressista, obteve uma histórica vitória eleitoral que encerrou mais de meio século de poder do conservador PLD.

As enquetes indicam que a popularidade do PD se encontra em níveis baixíssimos, o que não impediu o primeiro-ministro de ceder às chamadas da oposição para dissolver a câmara baixa antes do fim do ano.

Em troca, conseguiu o indispensável apoio dos partidos da oposição, que controlam a câmara alta, a uma lei crucial para a emissão de novos bônus que permitam financiar a atividade do Estado neste ano fiscal, além de uma reforma do sistema eleitoral que altera o peso dos votos por províncias.

As eleições de 16 de dezembro definirão um novo primeiro-ministro para o país, que teve já seis chefes de Governo diferentes nos últimos seis anos. EFE

 

Agência EFE – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem a autorização prévia por escrito da Agência EFE S/A.

Comentários