Política Sociedade

Estado Islâmico publica vídeo com reféns japoneses e pede resgate de US$ 200 milhões

O terrorista exige do governo japonês a mesma quantia oferecida por Abe para ajudar países que combatem o Estado Islâmico.

Do Mundo-Nipo com Agências

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) publicou nesta terça-feira (21) um vídeo na Internet no qual ameaça executar dois cidadãos japoneses mantidos como reféns, a menos que um resgate de US$ 200 milhões seja pago.

Dois japoneses são mantidos como reféns por militantes do Estado Islâmico (Imagem: Reprodução/YouTube/Edição MN)

Com sotaque britânico, vestido de negro e segurando uma faca, o terrorista exigia um resgate pela vida dos reféns japoneses, identificados como Haruna Yukawa e o jornalista Kenji Goto (Imagem: Reprodução/YouTube/AP)

De acordo com a Agência Reuters, o vídeo mostra um indivíduo em pé em uma área deserta, vestido de negro e segurando uma faca, ao lado de dois homens ajoelhados e vestidos em roupas laranjas, disse que o povo japonês tinha 72 horas para pressionar seu governo a interromper seu “tolo” apoio à coalizão liderada pelos Estados Unidos que conduz uma campanha militar contra o Estado Islâmico.

“Ao primeiro-ministro do Japão: embora você esteja a mais de 8.500 km de distância do Estado Islâmico, você de bom grado se voluntariou para tomar parte nessa cruzada”, disse o militante em inglês, conforme noticiou a Reuters.

O militante, com sotaque londrino é, provavelmente, o mesmo envolvido na morte de outros reféns.  Ele exigiu “200 milhões”, sem especificar a moeda, mas uma legenda em árabe identificava a divisa como dólares. Segundo a Reuters, o vídeo identificava os homens como Haruna Yukawa e Kenji Goto.

A filmagem não possuía data, mas em uma visita ao Cairo no último sábado, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, prometeu cerca de US$ 200 milhões em assistência não militar para os países que combatem o Estado Islâmico.

Abe, falando em Jerusalém nesta terça-feira ao fim de uma turnê de seis dias pelo Oriente Médio, disse que a ameaça do Estado Islâmico contra os dois supostos prisioneiros era “inaceitável”.

“Exigimos veementemente a imediata libertação dos cidadãos japoneses desarmados”, disse Abe. “A comunidade internacional precisa responder firmemente e cooperar sem ceder ao terrorismo.”

O vídeo tinha o mesmo aspecto de outros divulgados por veículos do Estado Islâmico, em que prisioneiros são ameaçados ou mortos.

Shinzo abe foi questionado se o Japão pagaria o resgate para garantir a libertação dos dois prisioneiros. Abe respondeu: “Em relação a este caso, damos a máxima prioridade a salvar vidas e a colher informações com a ajuda de outros países.”

Contudo, Abe destacou que a ajuda do Japão à região anunciada por ele tem propósitos humanitários, e disse que Tóquio continuaria a contribuir para a paz e prosperidade na região.

“Vamos nos coordenar com a comunidade internacional de agora em diante, e contribuir mais para (a) paz e prosperidade da região. Essa política está inabalável e não vamos mudar essa política”, afirmou o premiê.

Em Tóquio, o chanceler japonês disse estar verificando o vídeo para saber se a gravação era genuína. Ministros japoneses também anunciaram uma reunião de gabinete para discutir a resposta do governo ao vídeo.

*Confira o vídeo publicado pelo grupo EI no canal da Agência AP no YouTube.

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*