Política

Coreia do Norte põe fim ao processo de desnuclearização após sanções da ONU (Ampliação)

O governo da Coreia do Norte anunciou nesta quarta-feira (data local) o fim das negociações para seu processo de desnuclearização.

Da agência EFE

(Ampliação)

Ban Ki Moon (Imagem: edição de arte Mundo-Nipo)

Ban Ki Moon (Imagem: Mundo-Nipo)

Seul, 23 jan (EFE).- O governo da Coreia do Norte anunciou nesta quarta-feira (data local) o fim das negociações para seu processo de desnuclearização, poucas horas depois de o Conselho de Segurança da ONU aprovar novas sanções após o lançamento de um foguete de longo alcance em dezembro.

Em comunicado enviado pelo Ministério das Relações Exteriores norte-coreano à agência de notícias local, a “KCNA”, o regime informou que “não haverá mais negociações sobre a desnuclearização da península coreana no futuro”, mas abriu caminho para conversas com o objetivo de garantir “a paz e a segurança”.

“Devido à piora da política hostil dos Estados Unidos sobre a Coreia do Norte, as conversas de seis lados e a declaração conjunta de 19 de setembro são declaradas nulas, e a desnuclearização da península chegou a seu fim”, diz o comunicado.

As conversas de seis lados sobre o fim do programa nuclear norte-coreano, que envolviam as duas Coreias, EUA, China, Japão e Rússia, se encontram estagnadas desde que em 2008 Pyongyang decidiu retirar-se a mesa de negociações após sofrer sanções da ONU por conta de testes com mísseis de longo alcance.

Agora, após conhecer as novas sanções, o país comunista avisou que “produzirá ações para fortalecer a capacidade de defesa militar, incluindo a dissuasão nuclear”, segundo o comunicado do regime liderado por Kim Jong-un.

Segundo analistas sul-coreanos citados pela agência “Yonhap”, esse comentário pode abrir as portas para novos testes nucleares por parte da Coreia do Norte, após os realizados em 2006 e 2009.

Horas antes da decisão de Pyongyang, os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU ordenaram o congelamento dos ativos do Comitê Coreano de Tecnologia Espacial, encarregado do lançamento e de outros organismos norte-coreanos, e empreenderam restrições de viagem ao exterior a vários funcionários norte-coreanos.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, ressaltou ainda a necessidade de utilizar o diálogo como única via para alcançar uma península coreana sem armas nucleares e uma paz duradoura na região, enquanto pediu a todas as partes que retomem as conversas de seis lados.

Essas novas sanções acontecem depois de a Coreia do Norte ter posto em órbita, no dia 12 de dezembro, um satélite através de um foguete de longo alcance, uma ação que recebeu a condenação generalizada da comunidade internacional, que a considerou um teste encoberto de mísseis. EFE

 

Veja mais notícias sobre Política em mundo-nipo.com/politica. Siga o Mundo-Nipono Twitter e Facebook.

 

Agência EFE – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem a autorização prévia por escrito da Agência EFE S/A.

Comentários

Deixe de comentário

*