Economia Política

Japão e México anunciam acordo de cooperação no setor energético

O México é um país rico em petróleo e gás de xisto e Abe quer garantir o fornecimento estável de energia para o Japão.

Do Mundo-Nipo

Shinzo Abe e Enrique Peña Nieto (Foto: Kyodo)

O México é um país rico em petróleo e gás de xisto (Foto: Kyodo)

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, e o presidente do México, Enrique Peña Nieto, concordaram em cooperar para a exploração de petróleo e gás de xisto no país latino-americano, em vista de garantir o fornecimento estável de energia para o Japão.

Os dois líderes se reuniram na sexta-feira no México, a primeira escala do premiê japonês de sua visita a cinco nações da América Latina, que incluiu Trinidad e Tobago, Colômbia, Chile e Brasil, antes de voltar ao Japão no dia 4 de agosto. A viagem de Abe visa promover as exportações de infra-estrutura e fortalecer os laços nas áreas de recursos e desenvolvimento de energia com esses países.

Na conferência de imprensa conjunta após as conversações na Cidade do México, Abe afirmou que a crescente produção de petróleo e a exploração do gás de xisto são essenciais para a estabilidade do mercado de energia global. O premiê enfatizou que a tecnologia e os fundos do Japão podem ser usados de uma maneira eficaz para o desenvolvimento de recursos energéticos.

Abe também falou sobre a possibilidade de o Japão fornecer ao México tecnologia de energia nuclear com segurança aprimorada. Segundo ele, a tecnologia japonesa evoluiu no setor com base no que aconteceu com a usina nuclear Fukushima Daiichi. O premiê declarou ainda que deseja acelerar as negociações para concluir o acordo bilateral envolvendo energia nuclear.

A cooperação incluiu ainda a busca de uma rápida conclusão das negociações de livre comércio em curso envolvendo os dois países e 10 outras nações do Pacífico-rim.

(Com informações da NHK News e Agência Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*