Sociedade

Quase 30% da população do Japão tem mais de 65 anos, diz pesquisa

A pesquisa do governo japonês revela números ainda mais alarmantes de uma população a cada dia mais envelhecida.

Do Mundo-Nipo com Agências

Idosos japoneses (Foto: Alamy/Flickr)

A pesquisa foidivulgada um dia antes do feriado do Dia do Respeito aos Idosos (Foto: Alamy/Flickr)

Pessoas com idades a partir de 65 anos representam 25,9% da população do Japão. O número reflete um amento de 9% ponto percentual em relação a setembro do ano passado, mostraram dados do governo neste domingo (14).

No país, existe atualmente 32,96 milhões de pessoas com idades partir de 65 anos, um aumento de 1,11 milhões, ou alta de 3,5% em relação ao ano anterior, indicou a pesquisa do Ministério de Assuntos Internos do Japão em estimativa divulgada antes do feriado do Dia do Respeito aos Idosos, na segunda-feira.

O aumento foi atribuído principalmente ao fato de que as pessoas nascidas em 1949, o último ano do chamado “baby boom” do Japão, ocorrido logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, chegaram aos 65 anos.

A pesquisa do ministério revela números ainda mais alarmantes de uma população cada dia mais envelhecida.

A proporção de pessoas com idades a partir de 75 anos representa 12,5% da população total, o maior nível já registrado no país.

Por gênero, os homens com idades a partir de 65 anos atingiu o recorde de 14,21 milhões, ou 23% do total da população masculina, enquanto o número de mulheres idosas superou a marca dos 18 milhões pela primeira vez, para um total de 18,75 milhões, ou 28,7% do total da população feminina.

A pesquisa, realizada a cada cinco anos, mostra que o número de domicílios com um membro idoso totalizou 20,86 milhões em 2013, superando a marca dos 20 milhões pela primeira vez. Do total, o número de família com apenas um único idoso totalizou 5,52 milhões, um aumento de 1,38 milhões em relação ao levantamento anterior, em 2008.

Idosos e crianças estão vivendo geograficamente mais próximos uns dos outros. Os idosos que vivem com os seus filhos ou a menos de 15 minutos de distância situou-se em 25,8%, alta de 1,1 ponto percentual em relação a 2008, enquanto aqueles que vivem num raio de de cerca de uma hora de distância subiu 2,3 ​​pontos, para 49,4%.

Em 2013, 20,1% dos idosos tinham empregos, um aumento de 0,4 ponto percentual em relação a 10 anos atrás. O número é o mais alto entre os países industrializados e membros o G8.

O número de idosos que trabalham atingiu uma alta recorde de 6,36 milhões, crescendo pelo 10º ano consecutivo. A proporção dessas pessoas no mercado de trabalho representa 10,1% do total, um ponto mais alto que na pesquisa anterior.

(Com informações das agências Jiji Press e Kyodo)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*