Sociedade

Japão é terceiro na lista de países que mais jogam e apostam no mundo

Os japoneses gastaram US$ 31,4 bilhões em jogos de azar no ano passado.

Do Mundo-Nipo

Jogos de azar são populares em todo o mundo, não importa se eles ocorrem em um cassino ou através de um smartphone. Mas alguns países têm uma paixão muito maior para jogos do que outros. Pensando nisso, a consultoria britânica H2 Gambling Capital fez um excelente trabalho ao compilar um estudo que mostra quais são os países que mais jogam, apostam e “perdem”.

 

Japoneses jogando pachinko (Foto: Wikimedia)

A consultora aponta que os US$ 31,4 bilhões gastos em jogos pelos japoneses em 2013 devem-se, em grande parte, a frequência de apostas em pachinko (Foto: Wikimedia)

 

A pesquisa abrange os principais tipos de jogos, incluindo cassinos, máquinas de jogos, lotéricas, apostas esportivas como, por exemplo, em corrida de cavalos e resultados de jogos, além de apostas em jogos interativos (online, móvel e televisão).

Em valores totais, ninguém supera os Estados Unidos em gastos (perdas) com apostas em jogos de azar.

Com cassinos em todo os Estados Unidos, não é de surpreender que o país teve um valor maior que os demais em gastos com jogos no ano de 2013, registrando US$ 119 bilhões. A China ficou em segundo lugar, com US$ 76 bilhões, um valor bem abaixo que os EUA apesar de possuir o maior centro de cassino do mundo, em Macau.

A grande surpresa da lista ficou por conta do terceiro lugar do Japão, uma vez que os cassinos ainda não são legalizados no país. Entretanto, a consultora aponta que os US$ 31,4 bilhões gastos em jogos pelos japoneses em 2013 devem-se, em grande parte, a frequência de apostas em pachinko, um jogo em máquinas que se assemelham a um cruzamento entre pinball e slot machine.

Confira abaixo os cinco primeiros colocados em termos de valores totais de gastos em jogos de azar:

1. EUA
Perdas totais em 2013: US$ 119 bilhões

2. China
Perdas totais em 2013: US$ 76 bilhões

3. Japão
Perdas totais em 2013: US$ 31,4 bilhões

4. Itália
Perdas totais em 2013: US$ 23,9 bilhões

5. Reino Unido
Perdas totais em 2013: US$ 19,9 bilhões

 

Já dividindo o valor total das apostas anuais pelo número de adultos no país, chega-se à “aposta per capita”. Nesse quesito, a Austrália ocupa a primeira posição, com aproximadamente US$ 1.200 em gastos por cada adulto no país. Em seguida vem Singapura e Finlândia.

Já o Japão cai de terceiro em termos de gastos totais para ocupar a 15º posição, uma vez que o valor total de perdas dividido entre a população de adulto fica em aproximadamente US$ 300.

Veja a seguir os cinco países que mais gastaram em termos de valores por aposta per capita:

1. Austrália
Média de gastos por cada adulto no país: US$ 1.200

2. Singapura
Média de gastos por cada adulto no país: US$ 920

3. Finlândia
Média de gastos por cada adulto no país: US$ 610

4. Nova Zelândia
Média de gastos por cada adulto no país: US$ 500

5. Estados Unidos
Média de gastos por cada adulto no país: US$ 480

 

Veja abaixo o gráfico da H2 Gambling Capital (clique na imagem para ampliar):

Gráfico dos paises que mais jogam e apostam no mundo (Imagem: Reprodução/H2 Gambling Capital)

 

Sobre o pachinko

Esse jogo surgiu na era Taisho e era voltado para crianças. Foi proibido no ano de 1942. Voltou a ser permitido em 1946, sendo uma empresa em Nagoya que construiu a primeira máquina após a liberalização.

O pachinko é praticado em uma máquina chamada pachinko. Esta máquina tem um painel com vários pinos e uma tampa de vidro e mecanismos elétricos. O jogador compra uma quantidade pequenas de esferas de metal (pachinko dama) e as usa para jogar. Estas esferas são lançadas e rebatem nos pinos. Quando as esferas entram em locais específicos a máquina dá mais delas ao jogador. Com as esferas novas o jogador pode continuar a jogar ou trocá-las por prêmios. Ultimamente, a maioria das máquinas de pachinko têm mecanismos eletrônicos, sendo chamadas de dejipachi.

O pachinko é definido pela lei chamada fuutekihou, lei que regulamenta negócios relacionados a moral, como: centro de diversão que desperta apreensão quanto a excitar o desejo de jogar dos clientes. Esta lei proíbe que a loja de pachinko troque os prêmios por dinheiro, por isso o pachinko tecnicamente não é um jogo de azar.

Os prêmios comuns são: cigarros, maquiagem, comidas, gravatas e DVDs. Porém, no Japão é comum ter lugares que trocam esses prêmios por dinheiro logo ao lado dos lugares que abrigam os jogos.

 

Versão Digital

A versão criada para ser usada na Internet foi inspirada no tradicional Pachinko, porém algumas alterações tiveram que ser feitas para adaptar o jogo aos padrões digitais. No processo de adaptação para os meios digitais, algumas características do jogo tradicional deixaram de existir e o jogo passa a ter um formato que mistura loteria com bingo, algo que lembra muito o jogo Keno Bingo, onde bolas numeradas são sorteadas e o jogador que estiver em posse de cartelas com números sorteados deverá ser o ganhador dos prêmios, que variam de acordo com o número de acertos.

*As informações sobre pachinko são da Pachinko Nation (japansociety.org).

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário

*