Sociedade

Japão cogita aceitar mais imigrantes para suprir escassez de mão de obra

A queda da natalidade e o envelhecimento da população tem levado o Japão a uma crescente escassez de mão de obra.

Do Mundo-Nipo

Um painel criado recentemente para discutir a decadente taxa de natalidade no Japão, também abordará outras questões relativas ao assunto, como a possibilidade de facilitar a entrada de imigrantes no país para suprir a crescente escassez de mão de obra, de acordo com um comunicado do governo no início desta semana.

 

Falta de mão de obra no Japão (Foto: Kyodo)

A terrível escassez de mão de obra na construção civil está prejudicando a indústria japonesa no setor. A foto mostra um trabalhador solitário envergando vergalhões em um canteiro de obras no distrito de Minato, centro de Tóquio (Foto: Kyodo)

 

Formado por especialistas da área, o painel estará sob a jurisdição do Conselho sobre Política Fiscal e Econômica, cuja presidência cabe ao premiê Shinzo Abe.

Embora a expectativa seja de aprovação quanto a uma maior abertura para imigração, poderá haver uma avaliação sobre qualificação de mão de obra especializada para as áreas mais carentes.

A proposta de abertura acontece logo após o governo decidir implantar uma nova emenda em seu “Ato de Controle de Imigração”, na qual estrangeiros passariam a receber concessão de residência permanente a partir de três anos morando e trabalhando no país, o que atualmente só é possível após comprovação de cinco anos.

A emenda em questão foi endossada no dia 11 de março durante uma reunião de executivos do gabinete japonês. O Ministério da Justiça está buscando a aprovação do Parlamento.

A queda da natalidade e envelhecimento da população tem levado o Japão a uma crescente escassez de mão de obra. Dados recentes do Ministério da Saúde revelam que a população japonesa encolheu em 2013 a ritmo mais rápido desde a Segunda Guerra Mundial.

A pesquisa do ministério indicou que 1,031 milhão de pessoas nasceram em 2013, o que representa uma queda de 6 mil em relação ao ano anterior. Cerca de 1,275 milhão de pessoas morreram no ano passado, um aumento de 19 mil em relação a 2012. Estes números mostram que a população do Japão teve uma redução de 244 mil somente no ano de 2013.

O ministério também informou que 663 mil casais se casaram e 231 mil se divorciaram no ano passado. Isto indica que um casal se casa no país a cada 48 segundos, enquanto ocorre um divórcio a cada 137 segundos.

Segundo autoridades japonesas, a população deve diminuir ainda mais. A nação está envelhecendo e o número de mulher em idade fértil está caindo drasticamente.

Dados do Ministério de Assuntos Internos e Comunicações mostraram que o número de pessoas a partir de 65 anos ultrapassou a marca de 30 milhões pela primeira vez. Isso representa que 24,4% da população do país têm mais de 65 anos. Já o número de pessoas na faixa etária de 0 a 14 anos caiu para 16,6 milhões, ou seja, apenas 13,13% da população japonesa têm menos de 14 anos – o menor nível já registrado.

Outro estudo recente, do Instituto Nacional de Pesquisa do Japão, mostra que a população japonesa, atualmente estimada em pouco mais 126 milhões (incluindo quase 2 milhões de estrangeiros), poderá sofrer um declínio de 40 milhões em menos de 50 anos, chegando a 87 milhões em 2060.

(Do Mundo-Nipo com a Agência Kyodo e informações da Rede de TV NHK)

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários