Sociedade

Número de suicídios ligados ao desastre de 2011 no Japão chega a 130

Os números compreendem três províncias, com Fukushima representando 40% do total.

Do Mundo-Nipo com Agência Kyodo

O número de suicídios diretamente ligados ao terremoto, tsunami e desastre nuclear em março de 2011 atingiu um total de 130 em três anos, de acordo com um relatório do Escritório do Gabinete Japonês divulgado nesta terça-feira (26).

Os números compreendem três províncias, com Fukushima representando 40% do total, ou seja, 56 suicídios. As duas outras são Miyagi e Iwate, registrando 37 e 30, respectivamente.

O relatório aponta para uma alta acentuada em Fukushima. Somente neste ano, de janeiro a julho, foram registrados 10 suicídios na província – todos os casos estavam diretamente ligados à catástrofe, conforme afirma o documento.

Pelo menos duas famílias relacionadas aos suicídios já entraram com processos requerendo indenizações por danos à Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco), operadora da usina Fukushima Daiichi. O complexo teve seus reatores atingidos e danificados pelo tsunami em 11 de março de 2011, no que gerou a pior crise nuclear desde Chernobyl.

Embora a operadora venha insistentemente afirmando que não se pode provar que o acidente nuclear tenha sido responsável pelos suicídios, a Corte Distrital de Fukushima reconheceu, nesta terça-feira, que o suicídio de Hamako Watanabe tinha evidências suficientes para relacioná-lo ao acidente nuclear, condenando a Tepco a pagar 49 milhões de ienes, cerca de US$ 470 mil, em indenizações aos familiares da “vítima”.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários