Sociedade

Japão registra alta recorde de violência doméstica contra criança

O número de denúncias envolvendo violência contra crianças ultrapassou dos 13 mil em apenas seis meses.

O número de denúncias envolvendo violência contra crianças nos lares japoneses atingiu uma alta recorde no primeiro semestre de 2014. Segundo o relatório da Agência Nacional de Polícia do Japão ((NPA, sigla em inglês), divulgado na quinta-feira (25), o país registrou 13.037 denúncias de violência doméstica infantil nos seis primeiros meses do ano, refletindo uma alta recorde de 30% em relação ao mesmo período de 2013.

O relatório mostra que casos de agressão verbal representam 60% do total das denúncias, somando 7.768. A agência citou como exemplo pais que torturam psicologicamente os filhos.

Entre os relatos colhidos incluem frases de agressão verbal como “você não deveria ter nascido” ou “desaparece da minha frente, vai se jogar na frente de um trem”. A agência também considera violência psicológica os casos em que os pais brigam ou se agridem fisicamente na frente dos filhos.

Os números para agressão física aumentaram 20%, para 3.471 denúncias, enquanto os casos de denúncias por negligência somaram 1.715, aumento de 19%. Esses casos incluem maus tratos como deixar a criança passar fome, não cuidar quando adoecem, deixar trancados e/ou sozinhos em casa, entre outros.

O abuso sexual infantil dentro dos lares registrou o maior aumento. O relatório revela que houve uma alta recorde de 48%, para 83 casos. Segundo a agência, esses casos de abusos geralmente são praticados por membros da família ou por pessoa conhecida confiável, sendo que cinco tipos de relação incestuosa são conhecidas: pai-filha, irmão-irmã, mãe-filho, pai-filho e mãe-filha.

Do total de denúncias no período, a polícia indiciou 328 pessoas por violência doméstica contra crianças, incluindo 207 por agressão física, com alguns casos culminando em morte. Destes, 23 correspondem por abuso sexual.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários