Tecnologia

Japão coloca em órbita versão japonesa de satélite GPS

Lançamento do satélite Michibiki-2 (Foto: Reprodução/@shinnosuke0113/Twitter)

Assim como o GPS, o sistema japonês Michibiki obtém informações de localização de dispositivos móveis.

O Japão obteve sucesso ao lançar ao espaço, nesta quinta-feira (1), um foguete transportando um novo satélite da versão japonesa de sistema de posicionamento global, mais conhecido pela sigla GPS (em inglês, global positioning system).

Na manhã desta quinta-feira, por volta das 09h17 locais (21h17 de quarta-feira em Brasília) o foguete H-2A foi lançado a partir do Centro Espacial de Tanegashima, no sudoeste do Japão, conforme planejado pela Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (JAXA).

O foguete transportava o Michibiki 2, que integra um sistema de quatro satélites do mesmo tipo. O artefato foi colocado em órbita conforme o horário previsto. “Por volta das 9h46, menos de 30 minutos após o lançamento, o Michibiki alcançou a altitude de 275km e o lançamento foi bem-sucedido”, declarou a Jaxa em comunicado.

Segundo a ‘NHK’, o primeiro satélite do sistema foi enviado ao espaço há sete anos. Dois outros serão lançados ainda este ano e, quando todos estiverem conectados no espaço, cada um deles vai manter uma órbita sobre o Japão durante oito horas por dia e, desse modo, pelo menos um satélite estará sobrevoando o país ininterruptamente.

Assim como o GPS, que são de propriedade dos Estados Unidos, o sistema japonês “Michibiki” (“Orientação”, em tradução livre) obtém informações de localização de dispositivos móveis.

Entretanto, o GPS tem uma margem de erro de aproximadamente dez metros. Mas quando o Michibiki e o GPS estiverem funcionando em conjunto, essa margem será reduzida para apenas alguns centímetros.

Além de servir como importante ferramenta de localização, empresas japonesas planejam utilizar o sistema para maquinário de construção totalmente automatizado, operações de entrega por drones, entre outros.

Segundo autoridades japonesas, “o sistema Michibiki entrará em total funcionamento a partir da próxima primavera japonesa, ou seja, a partir de abril de 2017”, conforme noticiou a ‘NHK’.

Confira abaixo vídeo do lançamento:

Comentários