Tecnologia

Cerâmica do século IX oferece novas pistas para a origem do hiragana

Foram encontradas 90 peças no local e cerca de 20 continham script de tinta.

Do Mundo-Nipo

Pesquisadores identificaram um dos mais antigos exemplos de caracteres hiragana já encontrados, uma descoberta que pode ajudar os historiadores a determinar como os complexos caracteres kanji tornaram-se modificados conforme o silabário simplificado utilizado atualmente, informou o jornal japonês Asahi Shimbun.

A escrita, em cacos de cerâmica do século IX, parece ser uma forma primitiva de hiragana, cujos caracteres acreditam ter estabilizado em sua forma atual a partir do século X.

O hiragana coexiste com outras formas, incluindo o kanji, na escrita japonesa atual.

 

Foram encontradas 90 peças no local e cerca de 20 continham script de tinta com os caracteres hiragana. (Imagem: reprodução Asahi Shimbun)

 

Os pesquisadores do Instituto de Pesquisa Arqueológico da Cidade de Kyoto, identificaram os caracteres em fragmentos de cerâmica descobertos em um local que já foi a casa de Fujiwara no Yoshimi (813-867), um oficial de alto escalão do período Heian (794-1185).

Foram encontradas 90 peças no local e cerca de 20 continham script de tinta com os caracteres hiragana ou caracteres conhecidos como “sogana”, que ao longo do tempo foram modificados para os caracteres kanji e em seu caminho se tornaram hiragana.

Ao anunciar a descoberta em 28 de novembro, os pesquisadores disseram ter identificado na parte posterior de uma das peças, cerca de 40 caracteres, incluindo as sílabas “to” e “ha”, em sua forma usada atualmente.

Apesar de algumas peças faltarem pedaços, que nunca foram encontrados, e todos os textos apresentarem lacunas, é possível imaginar o seu significado.

Até agora, o mais antigo exemplo conhecido da escrita hiragana foi um documento escrito no ano 867, por um vice-governador da cidade de Sanuki, atual prefeitura de Kagawa.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários