Notícias Tecnologia

Contrabandistas estão ajudando vendas de jogos para PS4 na China

A China restringiu a linha de produtos da Sony a apenas seis produtos, o que é irrisório se comparado aos cerca de 200 jogos à venda no Japão.

Do Mundo-Nipo com Agências

Quando o PlayStation 4 saiu à venda na China, depois de ter sido suspendida uma proibição de consoles que durou 14 anos, o governo restringiu a linha de produtos da Sony a apenas seis produtos aprovados, o que é irrisório se comparado aos cerca de 200 jogos à venda no Japão. Mas a Sony vem recebendo ajuda de uma fonte inesperada: os vendedores de software contrabandeado, de acordo com a agência americana Bloomberg.

A loja de Yao no litoral de Tianjin vende mais de 40 títulos do PS4, inclusive jogos proibidos como “Grand Theft Auto”, contrabandeados pela fronteira com Hong Kong. A disponibilidade clandestina na China de sucessos mundiais de vendas é uma notícia boa para a Sony, que depende de softwares exitosos para impulsionar a venda de hardware e está tentando conquistar jogadores em um mercado que poderia valer US$ 22 bilhões até 2017, conforme informou a agência americana no início desta semana.

“Não é necessário que haja um amplo catálogo aprovado pelo governo, pois já é possível comprar muitos títulos no exterior”, disse Yao, de 31 anos, que está no ramo desde 2008. “O lançamento do PS4 foi como um estimulante cardíaco para o mercado de console aqui”, afirmou o comerciante à Bloomberg.

Yao pediu a agência que seu sobrenome não fosse utilizado para proteger sua identidade. A loja dele está aninhada entre escritórios no andar superior de um shopping de eletrônicos para esconder-se melhor dos investigadores do Ministério da Cultura, disse ele.

Consoles desbloqueados
A loja de Yao é parte de um mercado paralelo que está levando a melhor sobre os censores chineses com o fornecimento de jogos como “GTA”, “Call of Duty” e “Battlefield” aos jogadores, enquanto a Sony compete pela liderança na China com o Xbox One, da Microsoft. Os títulos vetados também podem ser adquiridos através dos meios convencionais, como o site de compras Taobao.com, da Alibaba Group Holding Ltd. Os vendedores anunciam software que, segundo eles, é original, não pirateado.

A Sony alimenta indiretamente o mercado paralelo porque vende um console compatível com discos comprados em qualquer lugar do mundo, embora seus portais on-line estejam bloqueados na China para evitar o download de conteúdos vetados. O Xbox One foi lançado nesse país em setembro com apenas 10 jogos aprovados, e não possibilita o uso de discos comprados fora da China.

Uma nova atualização da Microsoft eliminou o bloqueio regional, de acordo com usuários em sites chineses de jogos. A Microsoft não quis comentar em um e-mail.

O Ministério da Cultura da China não respondeu a duas ligações telefônicas nem a um fax em busca de comentários. Os consoles de jogos tinham sido proibidos em 2000 para proteger os jovens de uma influência vista como corruptível.

No centro de Pequim, cinco lojas pequenas, uma ao lado da outra, exibem dezenas de títulos de PS4 vetados. Zhang, 35, administra a Starfire Games, onde vende “Mortal Kombat X’, “Call of Duty” e “Bloodborne” por de 300 yuan (US$ 48) a 400 yuan.

Aumento das projeções
Zhang disse que os jogos foram importados dos EUA ou de Hong Kong, assim como alguns dos consoles que ele vende por cerca de 2.600 yuan. Além disso, o estoque inclui máquinas fabricadas especificamente para o mercado chinês, que também são bem vendidas.

Mesmo com fãs leais como Yao e Zhang, a Sony e a Microsoft poderiam enfrentar dificuldades para conquistar os jogadores acostumados aos títulos gratuitos em smartphones e tablets. A International Data Corp. prevê que as duas empresas juntas provavelmente vendam cerca de 1 milhão de unidades neste ano na China.

Sony e Microsoft não divulgam as vendas no país
A Sony elevou no dia 22 de abril sua previsão de lucros pela segunda vez desde fevereiro, em parte graças à unidade de jogos. O CEO Kazuo Hirai disse em fevereiro que a receita obtida com jogos e rede pode chegar a 1,6 trilhão de ienes (US$ 13 bilhões) dentro de três anos.

As restrições da China à internet implicam que a transição da Sony para os serviços de rede no setor de jogos vai deixar o país para trás. O plano de Hirai para elevar o lucro ao máximo desde 1998 depende em parte das vendas on-line realizadas aos cerca de 60 milhões de usuários ativos.

Por isso, os jogos vendidos no mercado paralelo conformam uma via primária para a Sony gerar vendas de hardware na China enquanto monta sua oferta local de títulos e serviços.

“Damos as boas-vindas ao lançamento oficial da Sony”, disse Yao, em sua estreita loja, onde adultos e crianças compartilham um sofá verde limão para jogar videogames. “Mas esse é apenas o primeiro passo”.

*Título orginal da material em inglês: ‘China’s Video-Game Smugglers Are Helping Sony’s PlayStation 4’. Para entrar em contato com os repórteres: Grace Huang, em Tóquio, xhuang66@bloomberg.net; Pavel Alpeyev, em Tóquio, palpeyev@bloomberg.net.

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários

Deixe de comentário


*