Notícias Tecnologia

Desenvolvedor do supercomputador Gyoukou é preso por fraude no Japão

Distribuição | ExaScaler

Supercomputador Gyoukou é o mais eficiente do mundo no consumo de energia e o mais rápido do Japão.

O presidente e o diretor de um grande empreendimento tecnológico no Japão, que é responsável por um dos mais eficientes supercomputadores do mundo, foram detidos nesta terça-feira (5) em Tóquio, suspeitos de fraudar uma instituição governamental para obter subsídios de aproximadamente 431 milhões de ienes, equivalente a US$ 3,8 milhões, segundo informou a imprensa local.

O esquadrão de investigação especial do Ministério Público Distrital de Tóquio realizou hoje uma busca na sede da PEZY Computing, companhia afiliada ao Ministério da Indústria do Japão e que faz parte do grupo que desenvolveu o supercomputador “Gyoukou”, o quarto mais potente do mundo.

De acordo com os promotores, o presidente do grupo, Motoaki Saito, de 49 anos, e o diretor Daisuke Suzuki, de 47 anos, são acusados de receber ilegalmente subsídios junto a Organização para o Desenvolvimento de Novas Energias e Tecnologia Industrial.

Os subsídios captados pela entidade se destinam ao apoio às empresas afiliadas para o desenvolvimento de novas tecnologias.

Em outubro, Saito anunciou o supercomputador Gyoukou, o mais eficiente do mundo no consumo de energia e o mais rápido do Japão.

Desenvolvido pelo conglomerado tecnológico gerido por Saito, Gyoukou ficou em quarto lugar no ranking mundial de supercomputadores divulgado em novembro passado. Gyoukou alcançou 19.14 petaflops, o que representa mais de 19 mil trilhões de operações por segundo.

Logo após a divulgação da colocação alcançada por Gyoukou, Saito defendeu a necessidade do avanço tecnológico de supercomputadores e expressou sua ânsia em desenvolver tecnologia, afirmando que “pretende ser o melhor, e não o segundo melhor”.

Saito é reconhecido mundialmente como pioneiro no desenvolvimento da tecnologia que reduz o consumo de energia por supercomputadores.

Na semana passada, a emissora pública japonesa ‘NHK’ anunciou que planejava transmitir um programa com Saito na próxima segunda-feira, mas cancelou o projeto citando a investigação em curso realizada pelo Ministério Público Distrital de Tóquio.

Na edição de fevereiro da revista mensal japonesa Seiron, Saito reconheceu que a China lidera o desenvolvimento de supercomputadores. Segundo ele, “a capacidade dessas máquinas será equivalente ao poder nacional”.

Expressando sua ambição de completar um supercomputador da próxima geração em dois anos, à frente de outros países, Saito disse na revista: “Precisamos de cerca de 30 bilhões de ienes para isso [desenvolvimento], temos que pensar em como financiá-lo”.

A PEZY Computing foi criada em janeiro de 2010 e atualmente é capitalizada em cerca de 940 milhões de ienes. Também produz processadores e softwares para computadores.

O supercomputador Gyoukou é usado em vastos tipos de pesquisas e está sob os cuidados da Agência Japonesa de Ciência e Tecnologia.

Do Mundo-Nipo
Fontes: NHK | Kyodo.

Comentários