Tecnologia

Fabricantes japoneses reduzem produção de telas LCD para iPhone 5

Os fabricantes japoneses Sharp e Japan Display começaram a reduzir sua produção de telas LCD para smartphones da Apple.

Da agência EFE

iPhone5 (Imagem: divulgação)

iPhone5 (Imagem: divulgação)

Tóquio, 14 jan (EFE).- Os fabricantes japoneses Sharp e Japan Display começaram a reduzir sua produção de telas LCD para smartphones da Apple perante vendas globais do iPhone 5 menores que o esperado, informa nesta segunda-feira o jornal econômico “Nikkei”.

Ambas as empresas, junto com a sul-coreana LG Display, fornecem telas LCD para os telefones inteligentes do gigante americano Apple que, segundo o jornal, planejava inicialmente adquirir destas três firmas equipamentos para 65 milhões de unidades este trimestre.

No entanto, a Apple teria indicado às três companhias que reduzam este número para cerca da metade, afirma o jornal, que aponta que o maior impacto será sofrido pela empresa Japan Display, que tem seus fábricas no Japão.

Espera-se que pelo menos uma delas reduza seu ritmo entre 70% e 80% frente ao trimestre outubro-dezembro, ao mesmo tempo em que outra se centrará em produzir telas LCD para outros clientes, embora o processo de transição “poderia levar alguns meses”, explica o “Nikkei”.

Por sua vez, pelo menos uma das unidades da Sharp dedicada a fabricar telas LCD para o iPhone 5 cortará em janeiro e fevereiro sua produção em cerca de 40% em relação ao trimestre passado, quando operava quase ao máximo de sua capacidade.

Também outras companhias japonesas que fabricam componentes para o iPhone 5, como TDK, Seiko Epson e Murata Manufacturing viram reduzidos seus pedidos do gigante americano, segundo fontes da indústria publicadas pelo periódico.

O grupo Apple enfrenta uma feroz concorrência no setor dos smartphones da sul-coreana Samsung, que ganhou terreno no mercado com dispositivos como o Galaxy S3 e o Galaxy Note. EFE

 

Agência EFE – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem a autorização prévia por escrito da Agência EFE S/A.

Comentários

Deixe de comentário

*