Notícias Tecnologia

Cidade japonesa revela a “Casa do Futuro”

Idealizada pela prefeitura de Yokohama, a casa é equipada com mais de 20 dispositivos ligados à Internet das Coisas.

Atualizado em 01/08/2018


Cuidados com a saúde têm se tornado um grande tema no Japão por conta do rápido envelhecimento populacional. Pensando nisso, a prefeitura de Yokohama, em Kanagawa, no leste do país, está trabalhando com empresas para analisar uma casa totalmente equipada com inteligência artificial poderá ajudar as pessoas, principalmente os idosos.

A chamada “Casa do Futuro” é equipada com mais de 20 dispositivos ligados à rede de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). O termo se refere a uma revolução tecnológica que tem como objetivo conectar os itens usados do dia a dia à rede mundial de computadores, visto que cada vez mais surgem eletrodomésticos, até mesmo roupas e maçanetas de portas conectadas à Internet e a outros dispositivos, como computadores e smartphones.

Revelada à mídia na semana passada, a casa inteligente foi idealizada e construída pela prefeitura de Yokohama em parceria com várias empresas. Na casa, o chão é dotado de um sensor que pode detectar os movimentos das pessoas. Os desenvolvedores afirmam que esse dispositivo pode ser usado para monitorar os idosos que vivem sozinhos, bem como evitar assaltos.

Outros sistemas planejam utilizar a inteligência artificial para abrir janelas e até cortinas automaticamente para acordar os moradores. Poderá ainda propor refeições balanceadas, ligar microondas, cafeteira, entre outros eletrodomésticos.

O morador não precisa abrir a geladeira e armários de cozinha, já que ele pode verificar o que há dentro por meio de micro câmeras conectados remotamente a um aplicativo para smartphone.

O genial desse dispositivo é o sensor da câmera, que é capaz de fornecer imagens, emitir lista escrita e até falada sobre todos os itens/produtos contidos dentro dos armários e da geladeira – uma grande ajuda na hora de fazer as compras, além de economizar energia elétrica.

Uma equipe formada pelas empresas que participam do experimento viverá na casa até setembro. A experiência tem como principal objetivo avaliar a os benefícios, em tempo real, que a casa pode oferecer aos moradores, principalmente aos idosos.

Caso o resultado seja positivo, a prefeitura pretende produzir essas casas em série, o que poderá estar disponível para comercialização a partir de 2020.

Mundo-Nipo
Fontes: NHK World News Online | Kyodo News

Comentários