Tecnologia

Japão põe em órbita 3º satélite de seu novo sistema de posicionamento global

Satelite Michibiki em órbita (Foto: Distribuição Mitsubishi Electric)

O Michibiki 3 integra um avançado sistema de quatro satélites que funcionará como uma versão japonesa do GPS.

O Japão lançou no último sábado (19) o foguete H-2A que transportava um satélite de posicionamento geográfico, após uma semana de atraso, disse o governo. Colocado em órbita minutos após o lançamento, o Michibiki 3  integra um sistema de quatro satélites do mesmo tipo e que será uma versão japonesa do sistema de posicionamento global, mais conhecido pela sigla GPS (em inglês, global positioning system).

O novo sistema irá oferecer informação mais precisa de localização, com apenas alguns centímetros de margem de erro, enquanto o GPS norte-americano tem margem de erro de até 10 metros. Segundo autoridades japonesa, o sistema japonês “Michibiki” (“Orientação”, em tradução livre)  será usado também para piloto automático e possivelmente para fins de segurança nacional.

O governo adiou o lançamento em uma semana por conta de uma falha técnica.

“Com o sucesso do terceiro satélite, demos outro passo adiante para ter sinais de quatro satélites no futuro”, disse Masaji Matsuyama, ministro responsável pela política espacial, em comunicado.

Segundo a ‘NHK’, o primeiro satélite do sistema foi enviado ao espaço há sete anos, enquanto o Michibiki 2 foi lançado no dia 1º de junho. O governo pretende lançar um quarto satélite no final do ano, para começar a oferecer informação de posição de alta precisão no próximo mês de abril.

Quando todos estiverem conectados no espaço, cada um deles vai manter uma órbita sobre o Japão durante oito horas por dia e, desse modo, pelo menos um satélite estará sobrevoando o país ininterruptamente.

O novo sistema japonês será mais preciso que o GPS dos EUA, que tem uma margem de erro de aproximadamente dez metros. Mas quando o Michibiki e o GPS estiverem funcionando em conjunto, essa margem será reduzida para apenas alguns centímetros.

Além de servir como importante ferramenta de localização, empresas japonesas planejam utilizar o sistema para maquinário de construção totalmente automatizado, operações com drones, veículos de auto-condução, entre outros.

O Japão planeja impulsionar o número de seus satélites de posicionamento geográfico para sete em 2023, tornando seu sistema operacional independente mesmo que o GPS norte-americano se torne indisponível por alguma razão, disse uma autoridade do governo anteriormente.

O satélite foi fabricado pela Mitsubishi Electric Corp 6503.T e foi colocado em órbita pela Mitsubishi Heavy Industries Ltd 7011.T.

Fontes: Agência Reuters | Canal NHK News.

Comentários