Games

Conheça jogos de ‘monstros colecionáveis’ além de Pokémon e Digimon

No mundo dos games de monstros colecionáveis há outros títulos que não são tão conhecidos como Pokémon e Digimon. Veja lista com especificações.

Do Mundo-Nipo com Agências

Muitos não sabem que, além dos famosos Pokémon e Digimon, há várias séries de games com “monstrinhos colecionáveis”, títulos que não são tão conhecidos no mercado brasileiro, mas que merecem atenção.

Entre esses jogos estão clássicos como Monster Rancher e Jade Cocoon, além de títulos mais modernos. Veja abaixo uma lista detalhando 6 games com “monstrinhos colecionáveis”:

▪ Pokémon
Pokémon praticamente dispensa apresentações. Ele é o responsável pelo enorme sucesso deste gênero nos games. Criado no Japão, na década de 90, onde é conhecido como Pocket Monsters, exclusivamente para o Game Boy, Pokémon gerou histórias em quadrinhos, desenho animado e uma outra série de conteúdo de sucesso relacionado no mundo todo.

Hoje, Pokémon já conta com mais de 30 títulos, entre os games principais e os spin-offs, lançados em diversos aparelhos, como Nintendo 64, Game Boy Color, Nintendo DS, e até minigames recentemente lançados nas plataformas móveis, como iPhone. A mecânica é inesquecível: saia pelo mundo e capture monstros para ser o melhor treinador de todos, batalhando contra outros treinadores e também contra líderes de elite, que vão te levar ao campeonato mundial.

▪ Digimon
Digimon nasceu na esteira do sucesso de Pokémon, também nos videogames, mas que logo ganhou as telinhas com um desenho animado de grande audiência, quadrinhos e outros. A história se diferencia por oferecer uma interpretação mais “adulta” do gênero, colocando dramas profundos nos personagens, que literalmente precisam lutar pela sobrevivência.

Em Digimon não temos as lutas entre treinadores, mas sim entre as criaturas e seus “donos”. Os bichinhos são seres que vivem no Mundo Digital e são comandados por “Digiescolhidos”. Nos games, as histórias seguem o mesmo estilo, mas existem em uma variedade maior: são jogos de luta, de RPG, de batalhas de cards, de aventura e outros.

▪ Monster Rancher
Monster Rancher é outro jogo que também fez algum sucesso no Japão e no mundo, mas hoje em dia anda um pouco esquecido. A série já teve títulos lançados no PSOne, PS2, Nintendo DS, GBA e até no PC. Sua premissa trazia algo de diferente e interessante na época do game original: utilizar CDs do mundo real para gerar monstros virtuais.

Na aventura de Monster Rancher, o protagonista liberta monstros de discos místicos, que por sua vez ficam seus amigos e lutam por ele na busca de algo precioso que vai salvar o mundo. Nos primeiros jogos, era comum encontrar a funcionalidade de utilizar CDs reais, de qualquer artista ou gênero, para gerar um monstro aleatório e único dentro do jogo, e somá-lo à sua biblioteca de aliados. Era curioso e o processo realmente funcionava, até mesmo com CDs brasileiros, na época.

▪ Jade Cocoon: Story of the Tamamayu
Jade Cocoon foi um jogo lançado no final dos anos 90, no PSOne, que fez sucesso por ter uma arte diferenciada, muito em conta pela colaboração entre o estúdio Genki e o Studio Ghibli, conhecido por desenhos como Serviço de Entregas da Kiki, A Viagem de Chihiro e Meu Vizinho Totoro.

A aventura tinha gráficos 3D e uma boa pegada de RPG. O jogador libertava monstros de casulos e os utilizava em batalhas contra outros monstros encontrados pela natureza. Este game não gerou um desenho, mas ganhou continuações, no PS2 e em edições mobile. Além disso, entre todos do “gênero”, ele era o mais sério e brutal.

▪ Ni No Kuni: Wrath of the White Witch
É curioso notar que outro game que envolve “Monstros colecionáveis” tem envolvimento do Studio Ghibli, o mesmo que trabalhou em conjunto em Jade Cocoon, citado mais acima. Aqui, porém, a produção ficou por conta da Level-5, que lançou um RPG épico e enorme, mas que utilizava monstrinhos que podiam ser capturados nas lutas.

Ni No Kuni é um game de PS3 e Nintendo DS, mas somente sua versão do console da Sony chegou ao ocidente, e fez um grande sucesso. Os gráficos parecem um desenho animado rodando no console e totalmente controlável. Além disso, todas as criaturas utilizadas nas batalhas são carismáticas e bem desenhadas. A história é guiada por um menino que perdeu sua mãe e embarca em um mundo mágico para tentar resolver seus problemas, guiado por seus amigos – criaturas que vivem neste mesmo mundo.

▪ Yo-Kai Watch
Yo-Kai Watch é o exemplo mais novo nesta lista. Ele foi originalmente lançado no Nintendo 3DS, em 2013, e logo ganhou um mangá e também desenho animado no Japão. No ocidente ele só estreia no meio deste ano, mas os fãs japoneses já provaram da popularidade da produção.

Em vez de uma bola, casulo ou monstrinhos virtuais, as criaturas aqui vivem invisíveis no mundo real, mas podem ser localizadas e identificadas por um dispositivo que fica no pulso do protagonista, como um relógio. A partir daí ele pode invocar estes monstros, dos mais diversos tipos, para ajudá-lo em batalhas.

Fonte: TechTudo.

*Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários