Variedades

Hokkaido reitera pedido para que turistas chineses se ‘comportem’

Manual japonês de boas maneiras para turistas (Foto: Reprodução)

Reiterado hoje, o guia de boas maneiras pede para turistas evitar flatulências em público, além de outras etiquetas.

Associação de Turismo de Hokkaido, no extremo norte do Japão, ressaltou hoje (10) o seu guia de boas maneiras, lançando em maio desde ano. O manual é voltado para turistas, principalmente os chineses, e no qual detalha uma série de etiquetas para os visitantes seguirem enquanto estiverem visitando a região.

O pedido foi reiterado porque a alta temporada de turismo na ilha tem início no outono e a região está recebendo um grande número de visitantes estrangeiros, que buscam o clima frio e os famosos festivais de neve em Hokkaido.

De acordo com o Jornal ‘The Asahi Shimbun’, a região está recebendo uma enormidade de turistas desde o início deste mês. Muitos deles chineses, que estão aproveitando o feriado prolongado do Dia Nacional da China, que teve início no dia 1º de outubro e decorreu por uma semana.

Além dos chineses, a região começou a receber desde o final de semana muitos turistas de Taiwan. Isso porque o país (território chinês) celebra a Revolução Xinhai em 10 de outubro, quando o país decreta feriado nacional e que decorre por cerca de uma semana.

Mediante isso, a Associação de Turismo de Hokkaido reiterou nesta segunda-feira (10) seu pedido para que os visitantes leiam com atenção o livreto produzido pela própria organização, chamado de “Guia de Etiqueta do Viajante Para Hokkaido”.

O guia ilustrado conta com três idiomas (japonês, chinês e inglês) e está disponível para download no site da Associação. No manual, há explicações sobre a necessidade de evitar flatulências e arrotos em público, além de pedidos para que as filas sejam respeitadas, que sigam a pontualidade japonesa e que mantenham os banheiros limpos.

O guia de etiqueta do turista não é um trabalho novo no Japão. Na verdade, o livro já está em sua segunda edição. A primeira versão, publicada em agosto de 2015, recebeu amplas críticas dos chineses, alegando que o guia generalizou o comportamento do povo chinês, caindo em um senso comum de que todo turista chinês é obrigatoriamente mal-educado.

Devido às críticas, a associação trabalhou em uma nova versão do guia que, mesmo assim, continuou não agradando aos chineses. Entre as partes polêmicas do livreto, além do pedido para evitar arrotos e flatulências, os japoneses orientam os turistas chineses a não “levar (pegar para si e levar para casa) itens fornecidos nos hotéis durante a hospedagem”, como talheres, pratos, toalhas, secadores de cabelo, entre outros itens de propriedade das empresas hoteleiras.

O manual ilustrado pede para que os turistas evitem arrotos e flatulência em público (Foto: Reprodução)

O manual ilustrado pede para que os turistas evitem arrotos e flatulência em público (Foto: Reprodução)

Porém, a segunda versão do livreto, lançada em meados de maio deste ano, também provocou indignação dos visitantes do país vizinho, que acusaram a associação de discriminação étnica, em vista de que o novo manual manteve todos os itens e até acrescentou mais restrições, mudando apenas o modo em que expressa os itens.

O próprio governo chinês, no entanto, parece estar ciente das façanhas de seus cidadãos no exterior. Órgãos de turismo em várias províncias chinesas também orientam através de guias e pequenos livretos como se portar ao viajar para o exterior, principalmente o Japão.

Para a maioria dos japoneses, os turistas chineses são ruidosos e problemáticos, capazes de jogar lixo na rua, fumar em público, falar alto em locais que exigem silêncio, como museus, transportes públicos e restaurantes, além de danificarem gramados e cerejeiras para tirar uma selfie, o que é intolerável para qualquer cidadão japonês.

"Não pise na grama", mostra uma das ilustrações do manual (Foto: Reprodução)

“Não pise na grama”, mostra uma das ilustrações no guia (Foto: Reprodução)

“Infelizmente, esse mau-comportamento dos chineses é um fato, seja por questões culturais ou simplesmente porque querem aproveitar ao máximo sua estadia em um país diferente”, afirma o ‘The Asahi Shimbun’ em sua publicação.

Nesta segunda-feira, a Associação de Turismo de Hokkaido republicou o lançamento do guia na primeira página de seu site, pedindo para que os “visitantes estrangeiros leiam o manual com atenção”, dedicando ainda um pequeno texto aos visitantes chineses.

“Fizemos o guia pensando também em uma maneira de os chineses aproveitarem melhor a estadia em Hokkaido sem problemas”, justificou o órgão, estimando que a região receberá mais de um 200 mil visitantes somente nesta temporada outono/inverno, conforme noticiou o ‘The Asahi Shimbun’.

*Confira o Guia de Etiqueta do Viajante Para Hokkaido.

Comentários