Curiosidades

Duas mangas são leiloadas pelo valor recorde de R$ 7,7 mil no Japão

As duas mangas, da marca “Ovo do Sol” (Taiyo no tamago), igualaram ao valor recorde alcançado no leilão da temporada anterior.

Um par de mangas proveniente da província de Miyazaki, no sudoeste do Japão, foi arrematado nesta segunda-feira (13) pelo valor de 300 mil ienes, equivalente a US$ 2,5 mil (cerca de R$ 7,6 mil no câmbio atual), no primeiro leilão da temporada, igualando ao valor recorde alcançado no leilão anterior, em abril do ano passado.

As duas mangas são da marca “Ovo do Sol” (Taiyo no tamago), que é considerada a melhor de sua categoria. Mangas dessa marca são famosas pelo alto teor de açúcar e escolhidas mediante rigorosos critérios de peso, que são sempre superiores a 350 gramas, de acordo com a Federação Econômica e Agrícola de Miyazaki.

As mangas foram leiloadas em um mercado de Miyazaki e arrematadas por um grande atacadista de Fukuoka, província também localizada no sudoeste do país, que fez chegar por via aérea as “preciosas mangas”, segundo informou um funcionário da Federação à Agência Kyodo.

Nesta temporada, o preço médio por uma caixa contendo duas mangas dessa marca equivale a US$ 170, cerca de US$ 26 a mais que na temporada do ano passado. As mangas foram colocadas à venda nesta segunda-feira nos mercados atacadistas em várias províncias do país.

Os consumidores japoneses estão habituados a pagar preços elevados por frutas, uma vez que no país apenas uma simples maçã pode custar mais de US$ 5. A compra de frutas de época e de marcas com qualidade rigorosa é considerada uma declaração de status no Japão, principalmente ser forem adquiridas em leilões.

Um exemplo disso é o preço exorbitante de 2,5 milhões de ienes (cerca de R$ 65 mil no câmbio atual) alcançados em um leilão de dois melões da marca Yubari, arrematados por um atacadista de Hokkaido (extremo norte), em 2008.

Fontes: NHK News e da Agência Kyodo.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

Comentários