Ciência e Saúde Notícias

Coronavírus faz Japão elevar estímulo para US$1,1 trilhão

Foto: Arquivo/Kim Kyung

Governo quer expandir auxílio aos seus cidadãos enquanto o coronavírus arrasta a terceira maior economia do mundo para a recessão.

Para abrandar as consequências da pandemia do novo coronavírus que ameaçam o Japão para uma recessão mais profunda, o governo do premiê japonês Shinzo Abe decidiu ampliar seu novo pacote de estímulo econômico para um recorde de US$ 1,1 trilhão de dólares que, por sua vez, se estenderá à expansão do auxílio emergencial em dinheiro a seus cidadãos que estão sofrendo com o isolamento em meio ao rápido avanço do Covid-19 no país.

O líder da terceira maior economia do mundo anunciou formalmente o novo estímulo menos de duas semanas depois que seu gabinete aprovou um plano anterior de gastar 108,2 trilhões de ienes (US$ 1 trilhão), que tinha pagamentos detalhados de 300.000 ienes (cerca de 15,1 mil reais) para famílias com quedas acentuadas de renda.

Abe cedeu à pressão de dentro de seu próprio bloco governista para aumentar a ajuda com um auxílio de 100.000 ienes (cerca de 5 mil reais) para cada cidadão, em vez de 300.000 ienes para um número limitado de famílias, dizem os analistas, lançando dúvidas sobre sua liderança em meio à queda do apoio.

A nova quantia triplica o custo do que o governo originalmente planejava para 12 trilhões de ienes.

“Entendo que o esquema de pagamento de 100.000 ienes foi decidido com o objetivo de incentivar todos os cidadãos a ajudarem a superar essa crise como um só”, disse o ministro das Finanças, Taro Aso.

“O ministério das Finanças fará todo o possível para que isso seja decretado rapidamente, para que os pagamentos e outros apoios sejam entregues às pessoas o mais cedo possível.”

A expansão do esquema deve sustentar o consumo privado que representa mais da metade da economia, disseram alguns analistas, embora muitos outros acreditem que a maioria dos pagamentos acabará em poupanças.

“Os beneficiários dos pagamentos incluem os ricos e as pessoas cuja renda não está sofrendo, de modo que a poupança também aumentará”, disse Ryutaro Kono, economista-chefe do BNP Paribas Securities.

“Mesmo considerando que mais pessoas sofrerão problemas econômicos neste momento do que durante a crise financeira de 2009, a proporção dos pagamentos que serão gastos é estimada em cerca de 40%. Como tal, isso elevaria o PIB apenas em 0,3 ponto percentual.”

Críticas

Na semana passada, o primeiro-ministro, que foi criticado pela demora em lidar com a pandemia, pediu desculpas pela confusão sobre o plano de começar a distribuir pagamentos de ajuda ao coronavírus no próximo mês.

Espera-se que o governo submeta o orçamento extra ao Parlamento no início da próxima semana, com o objetivo de obter aprovação nos feriados da “Semana Dourada”, que começa no início de maio.

Números do Coronavírus no Japão

Mais de 200 pessoas morreram em consequência do Covid-19 no Japão, que registrou mais de 11.000 infecções, das quais mais de um quarto está em Tóquio.

Com a Reuters / Tradução Mundo-Nipo (MN).

Matéria atualizada em 22/04/2020.