Ciência e Saúde

Hospitais no Japão vão internar apenas casos grave de Covid-19

©Kyodo

Número de casos diários diários de coronavírus no Japão mais do que dobrou em uma semana, sobrecarregado os hospitais do país.

O Japão restringirá as internações hospitalares de pacientes com Covid-19 àqueles que estejam gravemente doentes ou em risco de desenvolver a pior forma da doença, visto que o rápido aumento de infecções pelo vírus tem sobrecarregado o sistema de saúde do país, informou o governo do país na terça-feira.

A reviravolta de uma política anterior que acomodava uma faixa mais ampla de pacientes de alto risco veio no mesmo dia em que o governo expandiu o estado de emergência além de Tóquio e Okinawa para três prefeituras vizinhas e Osaka, lançando uma sombra sobre os Jogos de Tóquio em andamento no país.

“Garantiremos aos leitos necessários” para garantir que casos graves e de risco possam ser admitidos, disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga.

“A recuperação em casa será o padrão para outras pessoas, e estabeleceremos um sistema para que possam ser hospitalizadas imediatamente se sua condição piorar”, disse ele. “Aqueles que não puderem se isolar em casa serão autorizados a permanecer nos alojamentos designados”, afirmou o premiê japonês.

A disseminação de Covid-19 acelerou desde a declaração de emergência em Tóquio, três semanas atrás. A taxa de disseminação do vírus foi estimada em 1,41 em Tóquio no final de julho. Se essa taxa se mantiver, os casos diários somente em Tóquio podem aumentar de cerca de 3.000 para mais de 10.000 no final de agosto.

As infecções diárias em todo o país mais do que dobraram no domingo em relação à semana anterior.

O aumento foi impulsionado pela variante Delta, originária da Índia, altamente infecciosa, que alguns dados sugerem que pode causar doenças mais graves entre os pacientes na faixa dos 40 e 50 anos do que a versão original do coronavírus.

“O contágio da Delta é incomparável”, alertou o governador de Tottori, Shinji Hirai, em uma conferência de governadores no domingo. “A taxa de vacinação ainda está em 30%, longe de conter o surto explosivo atual”, disse ele.

Ao discutir a limitação de internações hospitalares, Suga disse na segunda-feira que um tratamento de combinação de anticorpos será disponibilizado para pacientes não hospitalizados, que agora estão excluídos de recebê-lo.

“Vamos administrá-lo ativamente para pessoas na faixa dos 50 anos ou mais e aquelas com doenças subjacentes”, disse o primeiro-ministro.

Em 19 de julho, o ministério da saúde concedeu autorização de emergência à unidade Chugai Pharmaceutical da Roche para produzir e vender o coquetel de dois anticorpos desenvolvido pela Regeneron Pharmaceutical com a Roche nos Estados Unidos. O tratamento, administrado por gotejamento IV, tem como objetivo evitar que os casos leves e moderados piorem.

O governo vai manter discussões com as autoridades locais sobre como levar o tratamento para as pessoas que estão se recuperando em casa.

Os governos das províncias têm lutado para expandir a capacidade, adicionando apenas mais 8.000 leitos desde janeiro – quando Tóquio e outras áreas enfrentaram uma grave cris – para elevar o total para cerca de 36.000 no final de julho.

== Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Nikkei Asia.