Ciência e Saúde

Japão quer reabrir suas fronteiras em março

Aeroporto de Narita em Toquio pede distanciamento de 2 metros Depositphotos 363944216 L 900
©Depositphotos

Premiê Fumio Kishida disse que vai revisar as medidas de restrições contra a ômicron e anunciar as novas regras até o fim desta semana.

Atualizado em 19/02/2022

 Japão poderá reabrir suas fronteiras parcialmente em 1º de março, relaxando assim as duras restrições contra a Ômicron, a mais recente variante da Covid-19,  que já está em seu quarto mês. O decreto do fechamento fronteiriço entrou em vigor em novembro de 2021, o qual permite apenas a entrada de 3.500 viajantes essenciais por dia no país, informou a mídia local.

O Primeiro-Ministro Fumio Kishida disse a repórteres durante visita oficial ao aeroporto de Haneda no último sábado (12), segundo o jornal financeiro Nikkei Asia, que ele “gostaria de seguir adiante com a flexibilização de restrições”.

“Vou revisar a estrutura das medidas de controle de fronteiras”, prometeu Kishida que, de acordo com o site The Japan News, deve anunciar as mudanças nas regras até o fim desta semana, após examinar a atual situação epidemiológica no país.

O decreto, ou estado de emergência parcial, que atualmente está em vigor perde a validade ao fim do mês e a imprensa japonesa não acredita que ele vá ser estendido mais uma vez, já que as medidas têm gerado críticas. Apesar do limite bem mais alto, apenas 767 estrangeiros entraram no Japão por dia em dezembro.

O Japão passou a receber estudantes internacionais em janeiro e cerca de 1.400 já entraram até o momento. O plano, segundo o Nikkei, é que o limite máximo de visitantes diários aumente para 5.000 pessoas e que as exigências para a chegada também sejam simplificadas.

Quarentenas poderão ser encurtadas de sete para três dias. No entanto, deverão ser cobrados o passaporte da vacina com dose de reforço e teste negativo para a covid-19, dizem os noticiários locais.

Foto: Depositphotos
== Mundo-Nipo (MN)