Ciência e Saúde

Japão confirma casos da nova variante de Covid-19

Micrografia eletrônica do novo coronavírus | Foto: NIAID
Foto: NIAID

Cinco pessoas que chegaram do Reino Unido testaram positivo para a nova cepa super transmissível. Entre elas está uma criança.

  • 248
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    248
    Shares

O governo do Japão confirmou seus primeiros casos da variante do novo coronavírus, uma cepa classificada como potencialmente mais transmissível e que tem se espalhado exponencialmente no Reino Unido, país onde foram detectados os primeiros casos do novo vírus, informou nesta sexta-feira a Kyodo News.

A confirmação foi divulgada nesta sexta-feira (25) pela ministra japonesa da Saúde, Norihisa Tamura. Segundo ela, cinco pessoas, quatro homens e uma mulher, todos com menos de 70 anos, testaram positivo para a nova cepa.

Eles agora estão hospedados em hotéis fornecidos pelas autoridades locais depois que foram testados pelos serviços de controle em dois aeroportos japoneses, entre os dias 18 e 21 de dezembro. Todos chegaram ao Japão em voos oriundos do Reino Unido.

“Nenhum deles teve contato próximo com outras pessoas desde o retorno ao Japão, disse o ministério”, destacando que “quatro deles são assintomáticos”.

Pelo menos uma criança com menos de 10 anos está entre os infectadas pela nova cepa, segundo o ministério, que não divulgou nacionalidade, nome ou idade das cinco pessoas.

Dois deles chegaram ao aeroporto de Haneda, em Tóquio, enquanto os outros pousaram no aeroporto de Kansai, na província de Osaka, no oeste do Japão.

“Faremos tudo o que pudermos para eliminar as chances de (a nova cepa) se espalhar no Japão”, disse Norihisa Tamura.

Takaji Wakita, chefe do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas, disse em uma entrevista coletiva que, como as infecções foram detectadas no aeroporto, ele acredita que “o vírus mutante não está se espalhando no Japão”.

Restrições de entrada

O Japão impôs na quinta-feira (24) uma proibição temporária à chegada de estrangeiros do Reino Unido para fins de negócios ou estudos, mas os residentes estrangeiros e japoneses ainda têm permissão para entrar no país.

Residentes estrangeiros no Japão, que já precisam passar pelo teste Covid-19, como condição de reentrada da maioria dos países, incluindo o Reino Unido, devem fazer download de um aplicativo de rastreamento para infecções por Covid-19 e reter seus dados de localização após entrar no Japão.

A partir de domingo (27), cidadãos japoneses que chegarem do Reino Unido serão obrigados a fazer testes para Covid-19 no prazo de 72 horas antes da partida e mostrar os resultados na chegada ao Japão.

As medidas restritivas ocorrem no momento em que países em todo o mundo, inclusive o Brasil, impõem restrições às viagens do Reino Unido após a disseminação da nova cepa, que se acredita ter causado um aumento nas infecções em Londres e no sudeste da Inglaterra.

Potencial de transmissão

Autoridades de saúde britânicas disseram que a nova cepa pode ser até 70% mais transmissível. Contudo, não há evidências de que seja mais mortal ou reduza a eficácia das vacinas.

Casos já foram confirmados na Austrália, Dinamarca, Itália, Holanda e África do Sul, de acordo com relatos da mídia internacional.

Micrografia eletrônica mostra o novo coronavírus | Foto: Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos (NIAID)

Enquanto isso, o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, pediu à população japonesa, nesta sexta-feira, que passe os feriados de Ano Novo “discretamente”, e evite grandes reuniões entre familiares e amigos. A intenção é conter o recente aumento de casos de coronavírus.

Número recorde de casos

Nesta sexta-feira, o Ministério da Saúde informou que o número de casos diários de Covid-10 chegou ao recorde 3.800, enquanto o número de mortes diárias somou 64, também estabelecendo um novo recorde no país.

Com isso, o Japão soma aproximadamente 215 mil pessoas infectadas e 3.197 mortes por Covid-19.

Governo evita decretar estado de emergência

Falando em sua última coletiva de imprensa do ano, Suga negou qualquer necessidade de declarar outro estado de emergência, dizendo que o governo buscaria implementar incentivos fiscais para restaurantes encurtarem o horário comercial.

“O governo distribuirá 270 bilhões de ienes (US$ 2,6 bilhões) adicionais em ajuda emergencial para hospitais com pacientes com Covid-19”, disse Suga, conforme noticiou a Kyodo News.

Do Mundo-Nipo (MN)

  • 248
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    248
    Shares