Entenda como funciona o salário mínimo no Japão

O valor do salário no Japão é baseado em hora. Ele difere em cada uma das 47 províncias do país, mas é maior nas áreas urbanizadas.
Iene Foto Sotckvault 900x600 atualizado em 29 04 2016
©Stockvault

No Japão, o salário depende da região, ou melhor, de cada uma das 47 províncias do país, que estabelece o seu próprio salário, de acordo com as negociações nacionais realizadas a cada ano entre representantes do Ministério do Trabalho, empregadores e empregados.

Existem também regimes especiais de salário mínimo em alguns setores de cada departamento, por exemplo, no de componentes automotivos e de reparação naval em Tóquio.

O salário mínimo é maior nas províncias mais urbanas. Assim, o salário mínimo por hora é mais alto em Tóquio, de 1.013 ienes (8 euros, 9,67 dólares ou 51,63 reais) e o mais baixo, de 792 ienes por hora (6,3 euros, 7,56 dólares ou 40,37 reais), é encontrado nos departamentos rurais de Akita (norte) ou Okinawa (sudoeste).

Negociações

Entre janeiro e março, as uniões trabalhistas (sindicatos) e representantes das companhias do Japão realizam as negociações salariais no país, as chamadas “Negociações Salariais de Primavera”, que visa aumentar o salário base dos trabalhadores.

De acordo com o Ministério do Trabalho, 1,9% dos empregados de empresas com pelo menos cinco trabalhadores recebem o salário mínimo ou até menos (havendo exceções).

No ano fiscal japonês de 2020, que começou em 1 de abril de 2020 e vai até 30 de março de 2021, a média do salário mínimo por hora está em 902 ienes (7,10 euros, 8,61 dólares ou 45,97 reais), apenas um iene a mais do que no ano fiscal de 2019.

Este foi o menor aumento em 16 anos, enquanto nos quatro anos anteriores havia subido mais de 20 ienes a cada ano, especialmente sob o impulso do governo Shinzo Abe, que incentivou o aumento dos salários para apoiar o consumo e, indiretamente, a inflação.

Salários congelados

Neste ano fiscal de 2021, que começa em abril, é provável que o salário se mantenha no mesmo nível do ano passado, uma vez que a pandemia do coronavírus afetou fortemente a economia japonesa, bem como a economia global.

Por lá, o mercado de trabalho é apertado por conta da falta de mão de obra em razão do envelhecimento populacional, mas, ainda assim, os efeitos da pandemia afetaram praticamente todos os setores, principalmente de serviços, com a disponibilidade de emprego no país registrando a maior queda em 45 anos no ano de 2020.

Porém, mesmo com a forte queda, o índice da oferta de empregos situou-se em 1,18. A proporção significa que havia, em média, 118 vagas de emprego para cada 100 candidatos em 2020, de acordo com o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão.

Fontes: France-Presse | Kyodo News.

Total
141
Shares
Previous Article
Yoshiro Mori Foto Reproducao video Mainichi Edicao Mundo Nipo 900x550 2

Presidente do comitê dos Jogos de Tóquio se desculpa por comentário sexista

Next Article
Espadas samurai Katana Foto Getty

Ator morre após ser atingido por espada em ensaio de teatro no Japão

Related Posts