Economia Notícias

Salário mínimo pode ter aumento recorde no Japão

©Stockvault

A ideia é elevar o salário mínimo por hora em mais de 3%. Com o aumento, o salário em Tóquio será de 1.041 ienes, o mais alto do Japão.

Um painel do governo japonês propôs aumentar o salário mínimo médio por hora em um recorde de 28 ienes, para 930 ienes (cerca de 8,4 dólares) no ano fiscal de 2021, uma medida que provavelmente representará um novo golpe para as empresas que já estão empenhando todos os esforços para se manterem em meio a pandemia de coronavírus.

Se concretizado, o aumento de 3,1% proposto pelo painel consultivo do Ministério do Trabalho em suas diretrizes sobre o salário mínimo será o maior desde o exercício financeiro de 2002, quando começou a usar o salário por hora para propor uma meta aproximada de aumento.

O aumento previsto também ocorre porque o primeiro-ministro Yoshihide Suga se comprometeu a atingir uma taxa horária média de pelo menos 1.000 ienes “o mais rápido possível” para ajudar os trabalhadores não regulares a ganhar mais e corrigir a disparidade salarial entre eles e os empregados regulares.

O aumento de 28 ienes irá superar o aumento recorde anterior de 27 ienes no ano fiscal de 2019, de acordo com o ministério.

Contudo, a lacuna entre as áreas urbanas e rurais permanece grande, mesmo enquanto Suga empurra para promover a revitalização regional.

Segundo a proposta, o salário mínimo em Tóquio seria de 1.041 ienes, o mais alto entre as 47 prefeituras do país, enquanto o salário mínimo em sete prefeituras em áreas rurais seria de 820 ienes.

Nenhuma das prefeituras, no entanto, deverá ver um salário mínimo abaixo do nível de 800 ienes.

Seguindo a proposta, os painéis locais de cada prefeitura finalizarão os salários mínimos revisados ​​até agosto, levando em consideração suas realidades econômicas. Os novos salários mínimos por hora serão adotados por volta de outubro.

Ainda assim, o salário mínimo do Japão é baixo em comparação com outras grandes economias desenvolvidas. De acordo com dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, o salário japonês está abaixo dos US$ 12,2 da França, US$ 12,0 da Alemanha e US$ 11,1 da Grã-Bretanha, embora seja superior aos US$ 7,3 dos Estados Unidos.

No exercício financeiro de 2020 até março, o painel não apresentou nenhuma meta numérica para os salários mínimos, o que implica que os níveis atuais devem ser mantidos. A decisão foi tomada em meio a temores de que os aumentos salariais pudessem piorar as condições de negócios, especialmente para as pequenas e médias empresas afetadas pelo impacto econômico inicial da pandemia.

Como resultado, o salário mínimo médio aumentou apenas 1 iene no ano passado.

Até o ano fiscal de 2019, o piso salarial médio do país saltou mais de 3 por cento pelo quarto ano consecutivo sob a administração do predecessor de Suga, ou seja, Shinzo Abe, cuja combinação de políticas “Abenomics” envolveu afrouxamento monetário ousado, estímulo fiscal e reformas estruturais para impulsionar o crescimento.

== Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Nikkei Asia.

Atualizado em 30/07/2021.