Economia Notícias

PIB do Japão cresce 1,3% no 2º trimestre, mas consumo segue lento

©Kyodo

Economia japonesa escapou de uma recessão, mas o consumo doméstico segue lento em meio ao estado de emergência.

A economia do Japão no período de abril a junho cresceu 1,3% na base anual e 0,3% em relação ao trimestre anterior, enquanto a robustez das exportações foram ofuscadas pelo consumo lento em meio ao estado de emergência devido à pandemia de Covid-19, mostraram dados do governo na segunda-feira (16).

Foi o primeiro aumento Produto Interno Bruto (PIB), o valor total dos bens e serviços produzidos no país ajustado pela inflação, em dois trimestres, de acordo com os dados preliminares divulgados pelo Gabinete do Governo.

Embora o número de crescimento tenha sido melhor do que a projeção média de crescimento anualizado de 0,7% pelos economistas do setor privado, o aumento do PIB foi lento demais para compensar a contração de 3,7% no trimestre janeiro-março.

Com o Japão ficando para trás em relação a outras economias importantes na campanha de vacinação, os dados mais recentes destacaram a falta de ímpeto na recuperação econômica do país após sua pior queda registrada no ano passado, causada pela pandemia.

No mesmo período de três meses, a economia dos EUA cresceu 6,5% ao ano e a área do euro registrou expansão de 8,3%.

“É vital para nós apoiar as empresas e o emprego, ao mesmo tempo que atribuímos a mais alta prioridade à redução da propagação do coronavírus”, disse o ministro da revitalização econômica, Yasutoshi Nishimura, em uma entrevista coletiva após a divulgação dos dados do PIB.

Em meio a um ressurgimento de casos de Covid-19, o governo declarou uma terceira emergência sanitária no final de abril para Tóquio e três prefeituras do oeste do Japão, e posteriormente expandiu para 10 das 47 prefeituras do país. Ela foi suspensa no final de junho, exceto para a prefeitura da ilha de Okinawa, no extremo sul do arquipélago.

Consumo privado

Os gastos do consumidor aumentaram 0,8% em relação ao trimestre anterior, o primeiro aumento em dois trimestres. No período de janeiro a março, os gastos caíram 1,0% porque partes do país estavam submetidas a um segundo estado de emergência.

A terceira emergência sanitária pesou fortemente sobre o consumo privado, com restaurantes que servem bebidas alcoólicas solicitados a suspender suas operações e restaurantes que não servem bebidas a fecharem mais cedo. As pessoas foram solicitadas a ficar em casa.

Exportações

Afetadas pela escassez global de semicondutores, as exportações de automóveis não estavam em pleno andamento, mas a demanda por equipamentos de fabricação de chips e outras máquinas industriais era sólida devido à forte recuperação da economia global, disse um funcionário do governo a repórteres, logo após anunciar que as exportações aumentaram 2,9%, marcando o quarto trimestre consecutivo de crescimento.

Enquanto isso, as importações cresceram 5,1%, em parte devido às compras governamentais de vacinas contra Covid-19.

Investimentos

O investimento empresarial, outro pilar importante da demanda doméstica, cresceu 1,7%, e o investimento residencial privado aumentou 2,1%, ambos contribuindo para o crescimento do PIB no trimestre em análise.

“As despesas de capital postergadas que muitas empresas planejaram inicialmente no ano fiscal de 2020 (até março) aparentemente começaram a surgir neste ano fiscal”, disse o funcionário, acrescentando que os investimentos relacionados à digitalização e descarbonização estão em tendência de alta.

Os gastos do governo aumentaram 0,5%, em parte sustentados pela compra de vacinas, enquanto o investimento público caiu 1,5%, à medida que os custos de construção de infraestrutura diminuíram.

Novo estado de emergência

Desde meados de julho, Tóquio está em um quarto estado de emergência, com recentes picos recordes no número de novas infecções diárias, à medida que a variante do vírus Delta, altamente contagiosa, se instala.

Além de Okinawa e Tóquio, Osaka e três prefeituras perto da capital foram adicionadas à emergência de vírus, obscurecendo as perspectivas para a terceira maior economia do mundo alcançar um alto crescimento no atual trimestre de julho a setembro.

Takayuki Miyajima, economista sênior da Sony Financial Holdings, disse que sua empresa esperava que a economia crescesse a uma taxa anualizada de 2,8% no período de julho a setembro e 5,6% no trimestre seguinte, mas a projeção para o trimestre atual será ligeiramente rebaixada após os últimos dados do PIB e a situação da propagação do vírus .

“De qualquer forma, a incerteza é grande”, disse ele, indicando que os números estimados estão sujeitos a alterações em razão da pandemia.

PIB nominal

Em termos nominais, ou não ajustados para mudanças de preços, a economia cresceu 0,1%, ou 0,2% anualizado, no trimestre em análise.

Os dados revisados ​​do PIB devem ser divulgados em 8 de setembro.

== Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Kyodo News.