Japão registra déficit comercial recorde de US$ 156 bilhões em 2022

O saldo negativo foi puxado pelos aumentos dos preços de energia, parcialmente atribuídos à guerra da Rússia na Ucrânia.
Porto de Tóquio | ©Yuki Kazeyo
©Yuki Kazeyo

O governo do Japão anunciou um déficit comercial anual recorde de 19,97 trilhões de ienes (US$ 155,27 bilhões) em 2022, em meio aos preços elevados de energia e matérias-primas, juntamente com a queda vertiginosa do iene, que aumentaram os custos de importação, informou o jornal The Japan Times na quinta-feira (19).

As importações japonesas saltou 39,2%, totalizando o recorde de 118,16 trilhões de ienes, liderado por petróleo bruto, carvão e gás natural liquefeito, enquanto as exportações cresceram 18,2%, para 98,19 trilhões de ienes, também um recorde, devido ao aumento dos embarques de carros e de aço, de acordo com os dados preliminares divulgados pelo Ministério das Finanças do país.

Apesar do resultado anual, o déficit comercial em dezembro diminuiu mais do que o esperado, em um sinal de que o impacto do iene fraco e os altos custos de energia começaram a diminuir.

O déficit anual de 12,82 trilhões de ienes relatado em 2014 era anteriormente o maior do país desde que os dados comparáveis ​​tornaram-se disponíveis em 1979.

O recorde negativo ressalta a vulnerabilidade do Japão com poucos recursos, que depende de importações para atender às necessidades domésticas.

A desvalorização do iene, que atingiu seu nível mais baixo em mais de três décadas em relação ao dólar, potencializou o saldo comercial negativo , reduzindo a riqueza nacional.

A cotação do dólar registrou média de ¥130,77 em 2022, o que representa 19,5% acima do ano anterior. Contudo, a moeda japonesa deu sinais de melhora no início de 2023, sugerindo que pode fortalecer em 2023.

Um iene fraco é uma via de dois sentidos, uma vez que ele inflaciona o valor das importações, mas também aumenta as receitas dos exportadores japoneses no exterior.

Alarmados com a rápida queda do iene em relação ao dólar, reflexo das políticas monetárias divergentes do Banco do Japão e do Federal Reserve dos Estados Unidos, as autoridades japonesas intervieram no mercado de câmbio para conter a desvalorização.

Os preços mais altos de energia e de matérias-primas em 2022 foram parcialmente atribuídos à guerra da Rússia na Ucrânia, que aumentou as preocupações com o abastecimento.

Balança comercial japonesa por regiões

O Japão viu seu superávit comercial com os Estados Unidos crescer pelo segundo ano consecutivo, para 6,54 trilhões de ienes, ajudado por fortes exportações de carros e de máquinas.

Os embarques com destino aos EUA aumentaram 23,1%, para 18,26 trilhões de ienes, enquanto as importações subiram 31,5%, para 11,72 trilhões de ienes.

O comércio com a China foi aparentemente afetado por sua estrita política de “Covid-zero”, levando o déficit comercial do Japão a mais do que dobrar, totalizando 5,83 trilhões de ienes.

As importações oriundas da China cresceram 21,8%, para 24,83 trilhões de ienes, impulsionadas pela demanda por roupas, smartphones e componentes eletrônicos. Enquanto isso, as exportações aumentaram apenas 5,7%, totalizando 19,01 trilhões de ienes.

O superávit comercial do Japão com o resto da Ásia, incluindo a China, caiu para 2,08 trilhões de ienes, cerca de um terço do registrado em 2021.

A terceira maior economia do mundo registrou déficit comercial de 2,02 trilhões de ienes com a União Europeia, permanecendo no vermelho pelo 11º ano seguido.

Balança comercial mensal

Em dezembro, o déficit comercial encolheu para 1,45 trilhão de ienes, caindo abaixo de 2 trilhões de ienes pela primeira vez em cinco meses.

As importações subiram 20,6% em relação ao ano anterior, desacelerando seu ritmo de ganhos, enquanto as exportações aumentaram 11,5%.

== Mundo-Nipo (MN)

Total
22
Shares
Previous Article
eSport equipe Navi | Foto: Reprodução / HLTV

Conheça as melhores equipes de eSports do Brasil

Next Article
Ano do Coelho | ©Getty Images

Previsões para 2023: Ano do Coelho no Horóscopo Chinês

Related Posts