Economia Notícias

Preços de terrenos residenciais no Japão têm 2ª queda anual seguida

Foto: jutaku.jp

O valor dos terrenos residências seguem caindo, mas os industriais aumentaram por causa da demanda de galpões na pandemia.

Os preços dos terrenos no Japão caíram pelo segundo ano consecutivo, à medida que as fronteiras fechadas do país e as restrições ao estado de emergência para combater a pandemia do coronavírus atingiram a demanda por novos restaurantes e hotéis, mostrou uma pesquisa anual do governo.

Em um sinal de que a pandemia está remodelando a economia, no entanto, os preços dos terrenos para áreas industriais aumentaram pelo quarto ano consecutivo devido à crescente demanda por armazéns para estocar aparelhos eletrônicos e outros bens para atender a demanda doméstica.

Os preços gerais dos imóveis na terceira maior economia do mundo caíram 0,4% no ano até julho, após o declínio de 0,6% do ano passado, que foi a primeira queda em três anos, mostrou uma pesquisa do Ministério da Terra na terça-feira.

Terrenos residenciais

Os preços dos terrenos residenciais, que vêm caindo há quase três décadas devido ao encolhimento da população do Japão, caíram 0,5% após uma queda de 0,7% no ano anterior, mostrou a pesquisa.

O declínio contrasta com um aumento preocupante nos preços dos imóveis em muitos outros países industrializados, como a Austrália, onde os preços das casas aumentaram para um recorde de 6,7% no período de abril a junho, apesar do baixo crescimento econômico.

Imóveis comerciais

Os preços dos imóveis comerciais no Japão caíram 0,5%, maior do que uma queda de 0,3% um ano antes, à medida que a pandemia forçou o país a fechar suas fronteiras para turistas estrangeiros e impor restrições à atividade econômica.

Em Osaka, a segunda maior área metropolitana do Japão e entre seus destinos turísticos mais populares, eles caíram 0,6%, marcando o primeiro declínio em nove anos, mostrou a pesquisa.

“Continuamos vendo os preços caírem à medida que a lucratividade despenca, a demanda encolhe e as perspectivas escurecem devido à pandemia”, disse um funcionário do Ministério da Terra em um comunicado.

Terrenos industriais

Em contraste, os terrenos industriais, que são principalmente usados ​​por fábricas e instalações logísticas, viram os preços subir 0,8% em todo o país em relação ao ano anterior, refletindo uma demanda robusta por bens.

Tanto a Rakuten quanto a Amazon, duas das maiores operadoras de comércio online do Japão, anunciaram planos para abrir vários centros de distribuição no início deste ano, devido ao contínuo boom de serviços de entrega durante a pandemia.

Os preços das terras no Japão subiram antes da pandemia graças em parte a uma parede de dinheiro injetada pelo banco central como parte das políticas de estímulo “Abenomics” do ex-premiê Shinzo Abe e um boom de construção de hotéis para atender a um fluxo de turistas estrangeiros.

O ministério pesquisou 21.430 locais em todo o país.

Reportagem: Kantaro Komiya / Agência Reuters
Tradução e adaptação: Mundo-Nipo (MN)