Economia Notícias

Exportações do Japão registram primeiro ganho anual em 2 anos

©Reuters

As exportações do Japão foram impulsionadas pela China. Mas as perspectivas para o início de 2021 são sombrias em razão da pandemia.

As exportações do Japão registraram aumento significativo em dezembro e marcou o primeiro crescimento anual em dois anos, impulsionado, em grande parte, por maiores embarques para a China, mostraram dados do governo na quinta-feira, oferecendo um vislumbre de esperança para os legisladores que contam com uma recuperação liderada pelas exportações em meio ao ressurgimento do coronavírus no país, informou agência Reuters.

A recuperação nos embarques japoneses pode diminuir o risco de uma recessão de duplo mergulho, enquanto o Banco do Japão (BoJ, o banco central japonês) deve atualizar sua previsão de crescimento para o próximo ano fiscal em sua revisão das taxas encerrada na quinta-feira.

Ainda assim, o ritmo de recuperação dos embarques do Japão empalideceu em comparação com as exportação dos vizinhos asiáticos, como China, Taiwan e Coreia do Sul, que registraram crescimento de dois dígitos, liderado pela demanda global por chips e produtos de tecnologia.

Os dados do Ministério das Finanças, divulgados na última quinta-feira, mostraram que as exportações do Japão aumentaram 2,0% em dezembro em relação ao ano anterior, um pouco abaixo do aumento de 2,4% esperado por economistas em uma pesquisa da Reuters, mas acima da forte retração de 4,2% em novembro, quando marcou 24 meses seguidos de declínio.

O resultado em dezembro marca o primeiro aumento anualizado desde novembro de 2018.

Em um sinal preocupante, porém, as exportações de automóveis caíram 4,2% no ano até dezembro, com os embarques para a União Europeia despencando 32,2%. A queda ocorre no momento em que montadoras como Toyota e Nissan devem cortar a produção de veículos este mês devido à escassez de semicondutores conforme a demanda se recupera da crise do coronavírus.

Em todo o ano de 2020, as exportações de automóveis do Japão caíram 20%, o maior declínio desde que os embarques caíram mais da metade durante a crise financeira global de 2009. Esse foi o principal motivo por trás do declínio anual das exportações de 11,1%, mostraram os dados.

“As exportações estão parando devido às restrições que visam prevenir a disseminação de infecções por coronavírus na Europa e na América”, disse Yutaro Suzuki, economista do Daiwa Institute of Research.

“Uma crise de oferta entre as montadoras causada pela falta de de chips pode pesar nas exportações”, completou

Por regiões

As exportações para a China – maior parceiro comercial do Japão – cresceram 10,2% no acumulado do ano até dezembro, com destaque para os embarques de plásticos, metais não ferrosos e outras matérias-primas.

Os embarques para os Estados Unidos – mercado-chave para produtos japoneses, como carros e eletrônicos – caíram 0,7% no comparativo anual em dezembro.

As exportações para a Ásia, que respondem por mais da metade dos embarques japoneses, avançaram 6,1%, enquanto os embarques para a União Europeia caíram 1,6%.

Balança comercial

As importações caíram 11,6% no ano até dezembro, praticamente em linha com a estimativa mediana, resultando em um superávit comercial de 751 bilhões de ienes (US$ 7,25 bilhões).

*Veja a tabela completa na página de relatórios do site do Ministério das Finanças do Japão.

== Mundo-Nipo (MN)

Atualizado em 30/01/2021.