Economia Notícias

Preços ao consumidor no Japão caem pelo 9º mês seguido

©Kyodo

O recuo recorde de 26,5% nas cobranças de telefonia celular foi o maior responsável pela queda da inflação no Japão.

O principal índice que mede a inflação ao consumidor no Japão recuou em abril pelo nono mês seguido, uma vez que a queda recorde nas taxas de telefonia celular compensou o aumento nos preços da energia, sugerindo que a demanda fraca e os custos mais altos pesarão sobre a frágil recuperação econômica.

Os dados destacam o desafio que as autoridades enfrentam em combater o ressurgimento das infecções pelo coronavírus (Covid-19) sem prejudicar uma economia que já está atrás de outros países em recuperação.

“A inflação caiu em abril, mas isso se deveu quase que totalmente à queda nas tarifas de telefonia móvel”, disse Tom Learmouth, economista da Capital Economics.

“Deixando de lado distorções temporárias, achamos que a inflação continuará a subir um pouco mais, embora diferente de algumas outras economias avançadas.”

O núcleo do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que inclui derivados de petróleo, mas exclui o efeito dos voláteis custos de alimentos frescos, caiu 0,1% em abril sobre o ano anterior, contra expectativa do mercado de recuo de 0,2%, mostraram dados do governo na sexta-feira, em linha com a queda de março.

O recuo recorde de 26,5% nas cobranças de telefonia celular pesou sobre os dados, uma vez que as operadoras acataram os pedidos do primeiro-ministro, Yoshihide Suga, para aliviar o fardo sobre as famílias.

Por outro lado, os preços da energia subiram 0,7% em abril, registrando o primeiro avanço desde janeiro de 2020 devido a altas recentes nos custos do petróleo e ao efeito base depois do recuo do ano passado.

== Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Money Times.