Economia

Produção industrial do Japão tem 1ª queda em dois meses

O recuo de 0,6% é pior que a previsão de economistas, que estimava queda de 0,1% para o sétimo mês de 2015.

Do Mundo-Nipo

A produção industrial do Japão recuou mais que o esperado em julho, registrando queda de 0,6% na comparação com o mês anterior, o que representa a primeira queda em dois meses, mostraram dados do governo nesta segunda-feira (31), atribuindo o resultado ao forte declínio no embarques para a China.

O resultado veio pior que a mediana das previsões de economistas consultados pela Agência Kyodo e pelo jornal financeiro Nikkei, que apontavam recuo de 0,1% para o sétimo mês de 2015.

De acordo com o relatório do Ministério da Economia, Comércio e Indústria (METI), o índice recuou em 10 dos 15 setores pesquisados. As indústrias que mais contribuíram para o resultado negativo foram de automóveis e de eletrônicos, em meio a uma forte queda nos embarques desses setores para o mercado chinês, reflexo da graduada desaceleração econômica na segunda maior economia do mundo.

O resultado fraco do importante indicador, aliado a desaceleração nas exportações e o recuo de 1,6% no Produto Interno Bruto (PIB) japonês, conforme mostraram dados recentes, levou o governo a manter sua avaliação básica, de que a recuperação da economia japonesa está “flutuante”, mas acrescentando que “não há qualquer direção”. Em maio, a avaliação era de que a economia “mostrava sinais de crescimento em ritmo moderado”.

Segundo dados de uma pesquisa realizada pelo ministério com empresas nacionais, a previsão é que a produção industrial aumente 2,8% em agosto, para então cair 1,7% em setembro.

A produção industrial, que mede o ritmo das fábricas japonesas, é considerada fundamental para antecipar o desempenho da economia do país, que é altamente dependente do setor manufatureiro.

Fontes: Agência Kyodo | NHK News.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.