Meio ambiente e Energia

Água radioativa em Fukushima Daiichi ultrapassa barreira de contenção

Se tal situação continuar, as barreiras concluídas não serão capazes de evitar que a água alcance o oceano.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

As águas subterrâneas radioativas na usina nuclear Fukushima Daiichi atingiram níveis acima de uma barreira construída para contê-la, aumentando o risco de vazamento para o mar.

Segundo informações do Asahi Shimbun, a Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco), operadora da usina,  está solidificando o solo com produtos químicos perto de um dique para preparar o terreno para as paredes.

Mas à medida que o trabalho progride, o nível da água em poços de observação aumenta acentuadamente cerca de 1 metro a partir da superfície do solo, aparentemente devido à acumulação de águas subterrâneas impedidas de chegar ao oceano.

 

Foto: AFLO

Foto: AFLO

 

O produto, no entanto, só é eficaz para a solidificação do solo de 1,8 metros de profundidade, o que significa que os níveis de água nos poços de observação já subiram acima das bordas superiores.

Se tal situação continuar, as barreiras concluídas não serão capazes de evitar que a água alcance o oceano. Além disso, os cálculos mostram que, se os níveis de água continuarem a subir no ritmo atual, a água contaminada vai inundar a superfície em cerca de três semanas.

De acordo com um cálculo da Agência Regulamentadora Nuclear do Japão, cerca de 100 toneladas de água subterrânea teriam de ser bombeadas para cima diariamente para evitar que a água escorra para o mar. Mas a usina está ficando sem espaço de armazenamento para a água contaminada.

A Tepco permanece confiante de que a conclusão das paredes em outubro irá aliviar o problema da água.

A operadora também sugeriu um plano de bombeamento água subterrânea que flui da montanha antes de entrar nos prédios dos reatores danificados e se torna contaminada. Esta água “limpa” seria libertada para o oceano, reduzindo assim o volume de água contaminada no local. Mas pescadores locais se opõem ao movimento.

Na sexta-feira, funcionários da Tepco disseram que entre 20 trilhões a 40 trilhões becquerel de trítio radioativo vazaram para o oceano. Isto é cerca de 10 a 100 vezes o volume emitido ao longo do período de 1 ano de funcionamento da unidade nuclear.

As informações são do The Asahi Shimbun.

 

Veja mais notícias sobre Meio Ambiente em mundo-nipo.com/meio-ambienteSiga também o Mundo-Nipo no Twitter e Facebook.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •