Meio ambiente e Energia

Operadora pretende pedir teste de segurança em reator da usina de Hamaoka

A Companhia de Energia Elétrica de Chubu disse que vai pedir à Autoridade Reguladora Nuclear para realizar testes no reator 4.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Do Mundo-Nipo

A Companhia de Energia Elétrica de Chubu se prepara para requisitar a realização de testes de segurança em um reator da usina nuclear de Hamaoka, localizada na região central do Japão, a 200 quilômetros de Tóquio. O teste em questão é necessário para que a usina seja reiniciada, informou nesta sexta-feira (hora local) a emissora pública NHK.

 

Usina de Hamaoka (Foto: Wikimedia)

Os reatores em Hamaoka são do mesmo tipo daqueles que foram danificados na usina de Fukushima em março de 2011 (Foto: Wikimedia)

 

Segundo a emissora japonesa, a operadora planeja fazer a requisição junto à Autoridade Reguladora Nuclear do Japão por volta do dia 14 de fevereiro.

Todos os reatores nucleares do Japão foram desligados após o acidente na central geradora Fukushima Daiichi, em 2011. As operadoras precisam se submeter aos novos e mais rigorosos parâmetros de segurança antes de poder reativar seus reatores.

A Companhia de Energia Elétrica de Chubu espera religar o reator 4 da usina nuclear de Hamaoka, localizada na província de Shizuoka, quando as medidas adicionais de segurança contra terremotos e tsunamis de grande porte estiverem em vigor, detalhou a NHK.

As medidas em questão, que incluem a construção de um quebra-mar de 22 metros de altura, deverão ser completadas até setembro de 2015.

Ainda de acordo com a NHK, a operadora também planeja requisitar a realização de testes no reator 3 de Hamaoka, a partir de abril.

Os reatores em Hamaoka são do mesmo tipo daqueles que foram danificados na usina de Fukushima em março de 2011, quando foram atingidos por um tsunami gerado pelo terremoto que devastou parte do nordeste japonês.

 


Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •