Economia Notícias

Japão ratifica acordo comercial com Reino Unido

©Andrew Parsons

O importante acordo entrará em vigor em 1º de janeiro e garantirá a continuidade das empresas japonesas e britânicas após o Brexit.

O parlamento do Japão concluiu na sexta-feira a ratificação de um acordo de livre-comércio com o Reino Unido, um movimento importante para apoiar as empresas automotivas, fabricantes de vagões e outros grupos industriais japoneses durante a saída da Grã-Bretanha da União Europeia (UE).

O acordo de parceria econômica, previsto para entrar em vigor em 1º de janeiro, salva os fabricantes japoneses que operam no Reino Unido de uma “beira de penhasco” do Brexit no final deste mês.

Mas um acordo comercial entre o Reino Unido e a UE continua sendo necessário para garantir que essas empresas tenham um comércio sem atrito com o bloco europeu após o Brexit.

Conteúdo do acordo

O acordo Japão-Reino Unido “garante continuidade para empresas japonesas e britânicas e espera-se que o comércio bilateral e os investimentos avancem sob os altos padrões do acordo”, disse o ministro japonês das Relações Exteriores, Toshimitsu Motegi, a repórteres na sexta-feira após uma reunião de gabinete.

Enquanto abrem o caminho para o comércio, Londres e Tóquio também estão explorando laços mais estreitos no campo da segurança, incluindo o compartilhamento com o Japão de de coleta de inteligência pelo acordo denominado Five Eyes (Cinco Olhos, em tradução livre) dos EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

O acordo de parceria econômica irá abolir as tarifas sobre as importações e exportações de bens industriais em termos de quantidade e valor. As tarifas sobre as exportações japonesas de automóveis para o Reino Unido serão reduzidas gradativamente até serem eliminadas em 2026 – assim como o acordo do Japão com a UE

As tarifas serão imediatamente abolidas em itens como vagões de trens e componentes, motores turbojato e painéis de controle para veículos elétricos.

Muitas empresas japonesas que operam no Reino Unido usam peças enviadas da Europa continental para produzir seus produtos, que são então enviados de volta a esses mercados. Para que eles continuem operando sem problemas após o Brexit, o Reino Unido também precisará assinar um acordo comercial com a UE.

Para as importações agrícolas no Japão, o novo acordo não estabelecerá novas cotas sob tarifas mais baixas, embora Londres deseje expandir as exportações de queijo azul Stilton, muito apreciado pelos japoneses.

Tóquio fez um acordo, permitindo que o Reino Unido exportasse produtos agrícolas com a mesma tarifa da UE, desde que as importações da UE não atinjam um determinado volume. As obrigações para os produtos florestais e da pesca também seguirão basicamente o que está em vigor com a UE.

Quando se trata de regras que regem a transferência de dados digitais, o Japão e o Reino Unido concordaram com regulamentos que estão em um nível mais alto do que o estabelecido no acordo comercial da UE ou no Acordo Abrangente e Progressivo de 11 países para a Parceria Transpacífico.

As empresas que se expandem para o mercado britânico ou japonês estarão protegidas de revelar segredos comerciais ao governo ou a qualquer empresa no país de destino.

A CPTPP e o acordo comercial entre o Japão e a UE proíbem os estados de solicitar às empresas que revelem os códigos-fonte. O Japão e o Reino Unido irão além ao banir a divulgação forçada de algoritmos de inteligência artificial e chaves de criptografia.

Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Nikkei Asia.

Atualizado em 08/12/2020.