Notícias Variedades

Morre Johnny Kitagawa, maior produtor de talentos J-pop

Johnny Kitagawa morreu em Tóquio, aos 87 anos | Foto: Reprodução / AFP

Kitagawa impulsionou vários grupos J-pop para a fama. Os mais bem-sucedidos incluem SMAP, Arashi, KAT-TUN e Hey! Say! JUMP.

Johnny Kitagawa, o maior produtor da indústria do entretenimento do Japão, morreu na terça-feira (9), aos 87 anos. O produtor ficou famoso por ser o responsável pelo lançamento dos grupos mais populares da música pop japonesa (J-pop). Ele morreu de derrame em um hospital em Tóquio, informou seu escritório em comunicado.

Kitagawa, que fundou a principal agência de produção de talentos do Japão, a Johnny & Associates, em 1962, estava internado em um hospital desde 18 de junho devido a uma hemorragia subaracnóidea, um tipo de derrame cerebral.

O magnata da música, conforme citou a Kyodo News, impulsionou um grupo pop após o outro para a fama. Os mais bem-sucedidos incluem SMAP, Arashi, KAT-TUN e Hey! Say! JUMP – ídolos tanto no Japão e em vários países.

Durante seus últimos dias de vida enquanto internado no hospital, Kitagawa esteve cercado por alguns dos principais talentos e estagiários de sua agência que, como seus “filhos”, falaram sobre suas memórias dele, com várias músicas tocando ao fundo, disse o escritório em comunicado.

“Tornou-se uma rotina diária [no hospital] visitas de famosos lançados por Kitagawa (…) Sua última cortina veio com ele envolto no amor de seus filhos amados”, disse o escritório.

Kitagawa sempre foi uma das figuras mais reverenciadas na indústria do entretenimento. Sua estratégia para criar sucessos era a de não limitar seus artistas com apenas novos singles e álbuns, mas ensiná-los a dançar e cantar bem. Isso tudo combinado a aparições frequentes em uma variedade programas de TV, além de muitas turnês e shows locais.

Essa estratégia “mágica” permitiu ao produtor manter-se como o maior produtor de “boy bands” por mais de 57 anos.

Nascimento

Nascido nos Estados Unidos como Hiromu Kitagawa, o nipo-americano chegou ao Japão depois de servir nas forças armadas americanas durante a Guerra da Coreia. Segundo a agência Reuters, Ele trabalhou na embaixada norte-americana antes de iniciar um grupo musical chamado “Johnny’s” e criar a agência de talentos Johnny & Associates” em 1962.

Recordista

Kitagawa venceu três Guinness World Records por sua fenomenal experiência de produção, incluindo a maior número de singles em primeiro ligar e shows produzidos por um único indivíduo.

Fama e admiração

Até mesmo o mundo político do Japão prestou atenção à sua morte.

“Ele criou muitos ídolos de entretenimento ao longo dos anos em uma enorme contribuição para a indústria de entretenimento do Japão”, disse o vice-secretário de gabinete, Kotaro Nogami, em entrevista coletiva nesta quarta-feira.

Recentemente, ele trabalhou como produtor executivo do filme japonês “Shonentachi”, lançado em março deste ano.

Assédio sexual

Se por um lado a carreira de Kitagawa foi só sucesso, a vida pessoal dele, no entanto, foi manchada por incidentes envolvendo assédio sexual infantil.

No início dos anos 2000, o produtor de sucesso foi alvo de inúmeras alegações de má conduta sexual. Em 1999, a revista semanal japonesa Shukan Bunshun publicou uma série detalhando acusações de abuso infantil e assédio sexual feitas por jovens artistas que ele recrutou em sua agência de talentos.

Apesar das acusações, o produtor não foi condenado. Em 2002, o Tribunal Distrital de Tóquio acolheu a favor de Kitagawa em uma ação de difamação contra a revista Shukan Bunshun.

MN- Mundo-Nipo.com
Fontes: Kyodo News | Reuters do Reino Unido.