Notícias Sociedade

Japão sobe no ranking de desenvolvimento humano

Pessoas na hora do rush matinal em Tóquio | Foto: Reprodução/Nikkei
©Nikkei

Japão melhorou sua posição no importante ranking IDH 2020, que avaliou a saúde, a educação e o padrão de vida de 189 países.

O Japão melhorou sua posição no ranking mundial do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 2020, que leva em conta a renda per capita, os níveis de educação e a expectativa de vida, de acordo com o relatório divulgado esta semana pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), órgão da Organização das Nações Unidas (ONU). 

No relatório, que que avaliou 189 países e regiões, o Pnud explica que os dados ainda não refletem os efeitos da pandemia do novo coronavírus.

A Noruega manteve o primeiro lugar que garantiu no ano anterior, enquanto a Irlanda e a Suíça ficaram em segundo lugar. Muitos dos lugares principais foram ocupados por países europeus.

O índice de desenvolvimento humano é usado para medir o desenvolvimento de um país que não pode ser avaliado apenas pelo crescimento econômico. Seus cálculos são baseados em três critérios: saúde, educação e padrão de vida.

Hong Kong ficou em quarto lugar, com longa expectativa de vida e alta renda per capita. Por sua vez, o Japão subiu uma posição em relação ao índice do ano passado, ficando em 19º lugar, posição que divide com Israel e Liechtenstein (principado de língua alemã com apenas 25 km de extensão, localizado entre a Áustria e a Suíça).

Os Estados Unidos ficaram em 17º, enquanto a Rússia ocupa a 52º posição. Na Ásia, Cingapura ficou em 11º, Coreia do Sul em 23º e China em 85º.

Em relação à América do Sul, o Brasil perdeu cinco posições e passou de 79º para 84º lugar, ficando atrás de Chile (43º),  Argentina (46º), Uruguai (55º), Peru (79º) e Colômbia (83º).

No relatório, o PNUD abordou o impacto da pandemia do Covid-19, dizendo que provou ser um “choque que afetou os principais componentes do desenvolvimento humano com magnitude sem precedentes”.

A organização estimou que o índice para todo o mundo mostrará declínio pela primeira vez desde que dados comparáveis ​​foram disponibilizados em 1990.

Meio Ambiente

Sobre as mudanças climáticas, agora denominado emergência climática, o relatório também apontou que, se o aquecimento global continuar sem mitigação, o número de dias de cada ano com temperaturas extremas abaixo de zero e acima de 35ºC deve aumentar em 100 em países com baixo desenvolvimento humano até 2100.

Com a mitigação consistente em razão das metas do Acordo de Paris de 2015, o número de dias por ano com temperaturas extremas em países de baixo desenvolvimento humano aumentaria em 49, acrescentou o relatório.

O Pnud explicou que o índice de desenvolvimento humano deste ano não inclui seis países devido à falta de informações, entre eles estão a Coreia do Norte e a Somália.

No final da tabela estão países africanos. Os três índices mais baixos foram obtidos por Chade, República Centro-Africana e Níger.

Top 10 do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) 2020
*incluindo dados de Japão e Brasil

#PaísHDL*EV*RPC$
1Noruega0.95782.466,494
2Irlanda0.95582.368,371
2Suíça0.95583.869,394
4Hong Kong0.94984.962,985
4Islândia0.94983.054,682
6Alemanha0.94781.355,314
7Suécia0.94582.854,508
8Austrália0.94483.448,085
8Holanda0.94482.357,707
10Dinamarca0.94080.958,662
19*Japão0.91984.642,932
84*Brasil0.76575.914,263
*EV: Expectativa de vida
*RPC: Renda per capita em dólar
Tabela: Edição do Mundo-Nipo

⇨ O relatório pode ser conferido na íntegra no site oficial do Human Development Index Ranking 2020.

Por Maria Rosa/ Mundo-Nipo (MN).

Atualizado em 21/05/2021.