Notícias Sociedade

Motociclistas ‘Papais Noéis’ desfilam contra abuso infantil no Japão

©Issei Kato/Reuters

O desfile é uma tradição no Natal. Mas este ano significou mais porque muitas crianças sofreram violência doméstica em razão da pandemia.

Vestidos de Papai Noel, motociclistas de Harley Davidson percorreram as ruas centrais de Tóquio no domingo (20) em seu desfile anual contra o abuso infantil, dizendo que mais crianças estiveram vulneráveis em 2020 em razão da pandemia de coronavírus, informou a agência Reuters.

O desfile, seguido por uma corrida de brinquedos para doações, é uma tradição global na época do Natal. Em Tóquio, ele é organizado pelos membros do “Clube do Papai Noel Harley”, fundado em 2008.

No desfile, os motociclistas disseram que o evento significou mais neste ano, porque mais crianças estiveram vulneráveis à violência doméstica durante o ano marcado pelo coronavírus.

“Especialmente por causa da pandemia de coronavírus neste ano, acho que muitos casos de abuso infantil ficaram escondidos”, disse Takashi Mine, diretor do evento.

“É muito provável agora que os pais se estressem com seus filhos depois de perder seus empregos, então acho que particularmente durante a pandemia temos que fazer esse desfile”, afirmou.

O número de casos mensais de abuso infantil no Japão cresceu até 20% entre entre janeiro e março, em comparação com o mesmo período no ano passado, enquanto mais famílias ficaram em casa em razão da pandemia. Segundo o Asahi Shimbun, o Ministério da Saúde do país reportou número recorde de registros de abuso infantil no ano passado.

Pandemia prejudicou desfile

Normalmente, centenas de motociclistas participam do desfile, mas em razão do coronavírus, o desfile deste ano contou com pouco mais de cem motociclistas.

Ainda assim, os motociclistas orgulhosamente roncaram seus motores para levar a alegria do Natal para as crianças que vivem em abrigos. Eles planejam visitar quatro dessas casas em Tóquio neste ano para doar doces e brinquedos para cerca de 400 crianças, conforme noticiou a Reuters.