Política

Reforma no gabinete do Japão tem nova pasta e mudança de 9 ministros

A novidade é a criação do Ministério de Ação Social, que se ocupará da integração da mulher no mercado de trabalho, entre outras tarefas.

Atualizado em 07/10/2015 – 13h23

Do Mundo-Nipo com agências


O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, realizou nesta quarta-feira (7) uma reforma em seu gabinete de governo. Houve mudanças no comando de nove Ministérios e a criação de mais uma pasta. Porém, os titulares de pastas importantes, como Relações Exteriores, Defesa e Finanças, foram mantidos.

A remodelação, que tem como objetivo concentrar a gestão do Executivo na aplicação do seu plano de estratégia econômica, denominado “Abenomics”, acontece depois que o governo sofreu notável desgaste de popularidade ao levar adiante uma polêmica reforma militar.

O ministro chefe do gabinete e porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga, divulgou hoje a composição do novo gabinete em entrevista coletiva.

A novidade é a criação do Ministério de Ação Social, que entre outras tarefas se ocupará da integração da mulher no mercado de trabalho, para o qual foi designado Katsunobu Kato, atual vice-porta-voz do governo. Kato também se ocupará do delicado assunto sobre o sequestro de cidadãos japoneses por parte de Coreia do Norte.

Entre as novas nomeações se destacam as de Hiroshi Moriyama para o Ministério da Agricultura e Pesca, e a de Moto Hayashi como ministro do Comércio e Indústria.

Abe reforça assim dois ministérios cruciais para a aplicação do recém-negociado Acordo Estratégico Transpacífico de Associação Econômica (TPP, sigla em inglês), que engloba Japão, EUA e outras dez nações, e que ainda deve ser ratificado por todos eles.

Até ser nomeado, Moriyama exerceu o cargo de presidente da comissão do partido governante para as negociações do TPP. Já Hayashi dirigia a Comissão de Normas e Administração da Câmara Baixa do parlamento japonês.

Outros dois integrantes do alto escalão do partido governante, Mitsuhide Iwaki e Hiroshi Hase, ocuparão o Ministério da Justiça e o de Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia, respectivamente.

Permanecem em seus cargos os ministros das Finanças, Taro Aso; das Relações Exteriores, Fumio Kishida; de Política Econômica e Fiscal, Akira Amari; da Defesa, Gen Nakatani; de Interior e Comunicações, Sanae Takaichi; além do ministro porta-voz, Yoshihide Suga.

Também não houve mudanças nas pastas de Revitalização das Economias Locais e na de Saúde, Trabalho e Bem-estar, ocupadas respectivamente por Shigeru Ishiba, Yasuhisa Shiozaki. A pasta especial da organização para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 continua no comando de Toshiaki Endo.

O novo gabinete inclui nove ministros que exercerão o cargo pela primeira vez, outros nove que permanecem em suas pastas, mais o novo Ministério de Ação Social, para formar um governo com um total de 19 ministros.

Desse total, apenas três são mulheres. Entre elas, duas políticas fazem sua estreia à frente de um Ministério. Tamayo Marukawa, de 44 anos, é a nova titular de Meio Ambiente. Aiko Shimajiri, de 50 anos, será a responsável pela pasta de Okinawa e Territórios do Norte.

Os líderes dos 19 Ministérios assumirão seus cargos ainda hoje, durante uma cerimônia no Palácio Imperial, com a presença do imperador Akihito.

Fontes: Associated Press | EFE.

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.