Notícias Política

Japão proíbe exportações para Rússia e Belarus de quase 300 itens

Terminal de containers no Porto de Osaka Foto Depositphotos 451927404 L 900x600
Porto de Osaka | ©Depositphotos

Para dificultar a capacidade militar russa, Japão vetou exportações de semicondutores, equipamentos de comunicação e materiais de ponta.

O governo do Japão designou quase 300 itens e tecnologias como sujeitos à proibição de exportação para a Rússia e a República da Bielorrússia, ou Belarus, a partir do final desta semana. Como parte das sanções de Tóquio sobre a invasão da Ucrânia por Moscou, o embargo, anunciado nesta terça-feira (15), tem como objetivo dificultar as capacidades militares russas, informou a Kyodo News.

O veto japonês à exportações de 266 produtos, como semicondutores, equipamentos de comunicação e materiais de ponta, sendo 26 de tecnologias, incluindo programas de design de máquinas para fabricação de chips, entrará em vigor na sexta-feira, segundo o Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão.

Além disso, as exportações de equipamentos de refino de petróleo e tecnologias relacionadas para a Rússia, um dos maiores produtores de petróleo do mundo, serão proibidas, disse o ministério.

Todas as exportações para 49 entidades russas relacionadas a militares e duas organizações bielorrussas, incluindo agências governamentais e fabricantes de aeronaves e navios, serão estritamente proibidas.

A medida ocorreu quando o Japão e outras nações ocidentais, incluindo membros do G7 (Grupo dos Sete principais países desenvolvidos do planeta), aumentaram as sanções econômicas à Rússia, já que a situação na Ucrânia não mostra sinais de melhora, uma vez que Moscou intensificou seus ataques à ex-república soviética. desde 24 de fevereiro.

Bielorrússia é acusada de ajudar na agressão russa contra a Ucrânia e, portanto, sofrerá sanções juntamente com a Rússia, destaca o ministério.

Os Estados Unidos e as nações europeias também proibiram remessas de produtos para uso militar e mercadorias de uso geral que poderiam ser usadas para fortalecer as capacidades das forças russas.

Como medida excepcional, o ministério disse que as exportações para os dois países para fins humanitários podem ser permitidas.

Após o ataque de Moscou à Ucrânia, o Japão reforçou a triagem de 235 produtos de exportação, como semicondutores, para a Rússia e a Bielorrússia.

Em 2021, as exportações do Japão para a Rússia totalizaram cerca de 860 bilhões de ienes (7,3 bilhões de dólares), com transporte de veículos e autopeças entre os principais itens. O número representou cerca de 1% dos 83 trilhões de ienes do país no total das exportações mundiais, segundo o Ministério das Finanças.

Cooperação global para isolar a Rússia

Em uma tentativa de isolar a Rússia do sistema financeiro e da economia global, as nações do G7 removeram os principais bancos russos do sistema internacional de pagamentos SWIFT e limitaram as transações com o banco central russo.

Na semana passada, os líderes do Reino Unido, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão e Estados Unidos, além da União Europeia, também concordaram em tomar medidas para retirar a Rússia de seu status de “nação mais favorecida”, que concedeu a país as melhores condições comerciais possíveis sobre os principais produtos.

== Mundo-Nipo (MN)
Fonte: Kyodo News JP
Foto: Depositphotos