Sociedade

Japão registra número recorde de casos de abuso contra menores

É a primeira vez na história do país que o número ultrapassa os 70 mil casos.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um número recorde de 73.765 casos de abuso infantil foi levado ao conhecimento de 207 centros de consulta a criança em todo o Japão no ano fiscal de 2013, terminado em março deste ano, de acordo com um relatório preliminar divulgado pelo Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão.

Divulgado na segunda-feira (4), o relatório aponta que o número é 10% maior que o registrado no ano fiscal anterior e o mais elevado desde que o ministério começou a realizar este tipo de pesquisa, no ano fiscal de 1990. Foi também a primeira vez na história do país a ultrapassar os 70 mil casos.

A Grande maioria dos casos foi registrada nas grandes cidades. Por prefeitura, Osaka teve o maior índice, com 10.700 casos, seguida por Kanagawa, com 9.800, e Tóquio, com 5.400.

As denúncias relatadas incluem basicamente quatro tipos de situações: dano físico, dano psíquico ou emocional, negligência e/ou abandono e o abuso sexual.

“Respostas ativas para o abuso de crianças é um fator significativo por trás do aumento dos casos relatados”, disse Tsuneo Yamamoto, do Instituto de Pesquisa da Criança e da Família, um órgão adjunto do Ministério as Saúde.

“A situação, no entanto, continua extremamente grave, principalmente nos casos envolvendo a morte de crianças”, afirma.

Yamamoto disse ainda que a ampla cobertura da mídia ajudou a aumentar a consciência pública sobre o abuso de crianças, o que tem impulsionado mais pessoas a entrar em contato com as autoridades sobre casos suspeitos.

Em agosto do ano passado, o ministério revisou suas diretrizes de ação a fim de que tanto a criança como toda a família receba tratamento psicológico integral, principalmente se a vítima tiver irmãos.

(Com Agência Kyodo)

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •