Sociedade

Japão tem casos alarmantes de violência doméstica

Estatísticas recentes mostraram que 26% das japonesas levaram socos, chutes e empurrões de seus parceiros…

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Japão registrou 0,3 morte a cada 100 mil habitantes em 2012, o que o faz o país com a menor taxa de homicídio do mundo. Entretanto, este número contrasta com o de vítimas de violência doméstica. De acordo com a ONU, vítimas do sexo feminino constituem um número crescente em países com taxas de homicídio baixas, como é o caso do Japão, onde mulheres representam 50% dos casos.

Nos países desenvolvidos, a violência doméstica cometida por parceiros tem peso maior que a violência nas ruas.

Em toda a Ásia, 20,5% dos casos de homicídios foram cometidos por parceiros próximos à vítima.  Mundialmente, 47% das mulheres morrem vítimas de membros da família, de maridos ou namorados.

Em 2005 e 2008, outra pesquisa constatou que mais de 10% das mulheres casadas sofreram “agressão física”, “assédio moral”, ameaças assustadoras” e/ou “coerção sexual” por seus parceiros em “muitas ocasiões”. Na mesma época, uma em cada 5 mulheres revelaram sofrer violência doméstica em “uma ou duas ocasiões”, o que indica que cerca de um terço das mulheres casadas japonesas já sofreram algum tipo de agressão dentro de casa.

Só em 2011, com número alarmantes, o Japão criou diversas leis específicas destinadas a proteger as mulheres, aumentando o número de casos relatados para 46% no mesmo ano.

A lei de “violência doméstica” foi introduzida pelo governo japonês somente em 2012, ano em que uma pesquisa (realizada a cada 3 anos) revelou que 4,4% das mulheres que sofreram violência sexual temiam por suas vidas.

Contudo, estatísticas recentes mostraram que 26% das japonesas levaram socos, chutes e empurrões de seus parceiros, enquanto outras 14% foram obrigadas a fazer sexo, e 18% sofreram abusos psicológicos.

(Com Agência Kyodo)

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •