Sociedade

Japonês de 112 anos é reconhecido como o homem mais velho do mundo

Yasutaro Koide recebeu hoje o certificado do Guinness em uma cerimônia na casa de repouso onde vive, em Nagoya.

O japonês Yasutaro Koide, de 112 anos e residente em Nagoya, na região central do Japão, foi reconhecido nesta sexta-feira (21) como o homem mais velho do mundo pelo Livro Guinness dos Recordes (Guinness World Records).

Koide nasceu em 13 de março de 1903 e trabalhou como alfaiate. Ele se tornou o homem mais velho do mundo com a morte do também japonês Sakari Momoi, de Tóquio, que faleceu aos 112 anos em julho deste ano.

Representantes da organização visitaram o simpático centenário para lhe entregar o certificado. Três de seus sete filhos, dois de seus nove netos e um tataraneto estiveram na cerimônia na casa de repouso onde Koide vive, situada na cidade de Nagoya, na província de Aichi. O ancião tinha olhos luminosos e cheios de lágrimas quando foi aplaudido ao receber o certificado.

Koide disse a repórteres que não tem segredos para sua longevidade, mas advertiu que “o melhor é não exagerar”. Ele também recomendou não fumar nem beber e disse que consegue ler jornais sem usar óculos.

A pessoa mais velha do mundo é Susannah Mushatt Jones, que mora no Brooklyn, em Nova York, e celebrou seu 116º aniversário na última segunda-feira. Susannah foi reconhecida após a morte da japonesa Misao Okawa, em abril deste ano. Misao faleceu em um centro de idosos em Osaka, aos 117 anos.

Japão é o país com a maior expectativa de vida do mundo para as mulheres, até 86,61 anos em média. Já os homens japoneses têm expectativa média de 80,21 anos, a quarta mais alta do mundo, de acordo com o Ministério da Saúde do país.

Ainda de acordo com o ministério, havia mais de 58 mil centenários no Japão até setembro de 2014. Trata-se da maior concentração de centenários em um único país.

(Com informações da Agência Kyodo e NHK News)

Mundo-Nipo. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita do Mundo-Nipo.com. Para maiores esclarecimentos, leia a Restrição de uso.