Sociedade Notícias

Japão endurece leis contra cyberbullying

Menino triste vítima de cyberbullying | ©Shutterstock
©Shutterstock

Nova lei prevê prisão de até um ano e multa de 300 mil ienes. Medida ocorre em meio à preocupação no país com o assédio nas mídias sociais.

O Parlamento do Japão aprovou uma nova lei que aumenta as penas para insultos online, ou cyberbullying. A emenda ao código penal do país entrará em vigor já neste ano, durante o verão japonês, que começa hoje (21) e termina em 23 de setembro, informou o jornal Mashable.

De acordo com a emenda, pessoas acusadas de insultos online podem enfrentar prisão por até um ano ou ser condenada a pagar multa de 300.000 ienes (cerca de US$ 2.200 ou  R$ 11 mil).

Antes, a punição para insultos online era muito mais leve: as pessoas consideradas culpadas podiam enfrentar detenção por até 30 dias ou multa de 10.000 ienes (US$ 75 ou R$ 387).

Suicídio de Hana Kimura

A medida ocorre em meio à crescente preocupação no país com o assédio nas mídias sociais. O movimento foi desencadeado de forma mais proeminente depois que uma celebridade japonesa cometeu suicídeio em 2020. Segundo o jornal The Guardian, Hana Kimura,  lutadora profissional e participante do reality show Terrace House, da Netflix, cometeu suicídio depois de meses enfrentando assédio e bullying online.

Em março passado, um homem foi acusado e multado por ter enviado frequentes mensagens de ódio à Hana.

Controvérsia

De acordo com o The Japan Times, o projeto de lei causou alguma controvérsia no país, com críticos sugerindo que a nova emenda pode limitar a liberdade de expressão. Eles também acreditam que a definição de “insultos online” precisa ser melhor especificada dentro da nova lei de punição ao cyberbullying.

Suicídio no Japão

De acordo com um estudo do governo japonês, mais de 400 crianças e adolescentes cometeram suicídio durante o ano letivo de 2020 no Japão.

Ilustração japonesa para campanha contra cyberbullying entre alunos | Imagem: plus-mie.jp
Ilustração japonesa para campanha contra cyberbullying entre alunos | Imagem: plus-mie.jp

Compilado anualmente pelo  Ministério da Educação do Japão, o estudo analisa as escolas primárias (Fundamental I), do ginasial (Fundamental II) e do ensino médio, além de escolas de educação especial em todo o país. A pesquisa abrange  Ijime (como é chamado bullying no Japão), evasão escolar e suicídios entre os alunos.

Suicídio entre famosos japoneses

Em setembro de 2020, atriz japonesa Yuko Takeuchi, de 40 anos, famosa no Japão e no ocidente por atuar em vários filmes de sucesso, inclusive a versão original de “O Chamado”, foi encontrada morta em em seu apartamento em Tóquio. Posteriormente, a polícia concluiu que Yuko cometeu cometido suicídio.

Poucos meses antes, o ator Haruma Miura também foi encontrado morto em sua casa. Ele tinha apenas 30 anos e era ídolo no Japão por atuar em vários filmes de sucesso.

Sua morte chocou o país e o mundo, uma vez que o ídolo aparentava ser equilibrado e estava prestes a lançar um novo filme, que estreou nas telas japonesas na semana seguinte à sua morte.

Serviço de ajuda no Japão

Se você está tendo pensamentos suicidas, procure apoio.

No Japão, ligue para a Yorisoi Hotline em 0120279338 (ligação gratuita). Pressione 2 após a mensagem gravada para consulta em inglês, chinês, coreano, tagalo, português, espanhol, tailandês, vietnamita, nepalês ou indonésio. O serviço nesses idiomas também está disponível no Facebook messenger.

Para aqueles que estão fora do Japão, uma lista do órgão internacional Suicide.Org. com endereços de apoio em vários países, pode ser conferida AQUI.

== Mundo-Nipo (MN)